Os eleitores de Bom Jardim de Goiás, município do Oeste goiano, com cerca de 7 mil habitantes, retornarão às urnas no dia 3 de dezembro para escolher prefeito e vice-prefeito. Os eleitos vão completar o mandato tampão até dezembro do próximo ano, em que haverá eleições conforme o calendário eleitoral determina, em outubro. Quem vencer nas urnas poderá tentar a reeleição.

É que o prefeito Odair Sivirino Leonel, e seu vice, Manoel Oliveira Souza, foram afastados dos cargos por decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), em 25 de setembro. Os desembargadores concordaram com recurso do Ministério Público Eleitoral (MPE). Na ação, o órgão reforçou o pedido de cassação da chapa por suposta captação ilícita de votos e abuso de poder econômico de ambos.

Na mesma semana, o presidente da Câmara Municipal de Bom Jardim de Goiás, Willian Gregório Neto, foi notificado. Ele passou a comandar a Prefeitura, temporariamente, e sua vice, Maria Alzenir Dantas, o Poder Legislativo.

Willian Gregório é presidente e Alzenir vice na Câmara de Bom Jardim de Goiás | Foto: divulgação/Câmara Municipal
Willian Gregório é presidente da Câmara de Bom Jardim de Goiás | Foto: divulgação/Câmara Municipal

Agora, em 24 e 25 de outubro, os partidos e as federações deverão realizar as convenções para escolher os candidatos. A reunião pode ser feita de forma presencial, virtual ou híbrida. Até dia 26, as legendas devem fazer o cadastro dos nomes no sistema CANDex, no portal do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO), e a partir do dia 28 o cartório eleitoral de Bom Jesus de Goiás publicará um edital contendo os pedidos de registros para que, no prazo de cinco dias, qualquer cidadão possa pedir impugnações ou apresentar notícias de inelegibilidade das candidaturas.

Condenação e recurso

A investigação de denúncias foi conduzida pela promotora eleitoral, Ana Carla Dias Lucas Mascarenhas. Ela se baseou em provas como fotografias, vídeos e gravações de áudio, além de depoimentos de testemunhas, acerca das fraudes eleitorais.

Odair e Manoel chegaram a ter os mandatos revogados em dezembro de 2021, pelo Juízo da 35ª Zona Eleitoral de Aragarças, que impôs também multas, porém eles recorreram. O Jornal Opção não conseguiu contato com Odair Sivirino Leonel e nem com Manoel Oliveira Souza. O espaço segue aberto.