O prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano (Patriota), fez a prestação de contas referente a meta fiscal do segundo quadrimestre deste ano, na Câmara Municipal, nesta terça-feira, 6. O período abrange de maio a agosto deste ano. Contudo, no final as contas terminaram no negativo. 

Segundo o gestor, a prefeitura obteve receita de R$ 1,7 bilhões. No entanto, investiu em obras apenas R$ 15 milhões, sendo o pagamento de R$ 9 milhões para a conclusão de obras e mais R$ 6 milhões em obras em andamento.

O maior custo do município é com a folha de pagamento, que mensalmente está em torno de R$ 53 milhões, ou seja, 48% das despesas. Na sequência, 41% são custeio da máquina pública, apenas 6% foram aplicados em investimentos, 2% utilizados para amortização de dívidas e cerca de 1% para pagamento de juros.

Vilmar Mariano destacou que no período sob a gestão dele foram aplicados 27% na Educação e 30% na Saúde. “Dobramos o valor aplicado em saúde, o que nos deixa muito felizes”, discursou.

Déficit

O Secretário da Fazenda de Aparecida de Goiânia, André Rosa, explicou que o município teve um resultado primário positivo no primeiro quadrimestre, de janeiro a abril. No período, a receita foi maior que a despesa. No entanto, no segundo quadrimestre a prefeitura fechou com déficit de R$ 29 milhões no segundo quadrimestre, ao efetuar pagamentos de juros.