O governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), depôs por mais de duas horas na sede da Polícia Federal, em Brasília, nesta sexta-feira, 13. Ele negou responsabilidade por atos terroristas. O emedebista classificou o depoimento como “excelente”. Ibaneis entrou e saiu pela garagem do edifício, sem falar com a imprensa.

“Respondi a todos os questionamentos e espero ter deixado claro que não tive qualquer envolvimento, seja por ação ou por omissão, com os fatos ocorridos no domingo”, revelou a coluna Grande Angular, do site Metrópoles.

Ibaneis Rocha foi afastado do cargo pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, após a Polícia Militar do DF falhar na segurança dos prédios do Congresso, Planalto e STF. Todos esses locais foram atacados por terroristas apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Inquérito

Na manhã desta sexta-feira, 13, enquanto Ibaneis dava depoimento na PF, o ministro Alexandre de Moraes, Supremo Tribunal Federal (STF), abriu um novo inquérito contra o governador afastado.

Além de abrir investigação contra o emedebista, Moraes vai apurar a possível omissão do ex-secretário de Segurança do DF Anderson Torres nos atos de vandalismo na praça dos três Poderes. Antes de assumir a pasta no Buriti, Torres foi ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro (PL). A decisão da abertura de inquérito contra Ibaneis e Torres foi publicada no Diário de Justiça, nesta sexta-feira.