Uma aventura digna de filme de terror, e com direito a cobra surpresa. A história de arrepiar se desenrolou na terça-feira, 2, quando uma família, saindo de Confresa, no Mato Grosso (MT), decidiu fazer uma parada estratégica em Jataí para recarregar as energias em um hotel. O destino? Dourados, Mato Grosso do Sul (MS). Por volta das 19h50, a esposa foi pegar as malas no porta-malas e deparou-se com uma serpente fazendo uma visitinha surpresa entre as bagagens.

O susto grande especialmente porque ela percebeu que o réptil estava a poucos centímetros das duas filhinhas dela, gêmeas de apenas 2 anos e meio e que tranquilamente curtiam a viagem no banco de trás.

Sem perder tempo, a família acionou o Corpo de Bombeiros, que com um verdadeiro arsenal de coragem (e um pinção) e realizaram uma operação especial para retirar a serpente, garantindo que nenhum animal – nem mesmo o réptil – saísse ferido dessa história.

Serpente encontrada dentro de carro em Jataí. Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros

A estrela da trama, apelidada de “cobra olho de gato”, pode até ter causado susto, mas não é lá muito agressiva. Após sua aparição, ela foi gentilmente acomodada em um tambor e libertada em seu habitat natural, bem longe das áreas urbanas. Essa foi uma verdadeira aventura para essa família que percorreu mais de mil quilômetros com uma serpente no porta-malas.

É venenosa?

Apesar de poder causar medo em algumas situações, essa não é uma espécie venenosa, não possuindo a glândula necessária para que reservem e levam veneno a outros organismos com os quais possa entrar em contato.

Essa espécie, assim como muitas outras desse mesmo animal, são ovíparas e podem colocar até oito ovos a cada período gestacional. Além disso, possuem uma dieta composta por pequenos animais que são automaticamente presas simples, como por exemplo lagartixas, sapos, salamandras e rãs.

Elas podem se adaptar bem a diferentes tipos de clima e de modo geral não são comuns em áreas urbanas, já que nesses espaços não conseguem se camuflar como desejam e por isso, estão mais propensas a serem vitimadas.