Até o final da manhã desta quarta-feira, 10, mais de 50 pessoas foram presas suspeitas de integrar célula de facção criminosa em Goiás. A megaoperação ocorre em 13 estados e cumpre 228 mandados de prisão e 223 mandados de busca e apreensão. Entre os crimes investigados constam tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

O objetivo da ação – realizada pelo Grupo Nacional de Combate ao Crime Organizado (GNCOC) – é desarticular organizações criminosas violentas que atuam tanto nos sistemas prisionais quanto nas ruas do país. A prisão cautelar de parte dos membros identificados quer coibir a expansão dessa facção criminosa em território goiano.

Os mandados cumpridos em Goiás foram deferidos pela 2ª Vara dos Feitos Relativos à Organização Criminosa e de Lavagem ou Ocultação de Bens, Direitos e Valores de Goiânia. Eles estão sendo cumpridos em 21 municípios: Goiânia, Aparecida de Goiânia, Guapó, Catalão, Três Ranchos, Itumbiara, Panamá, Morrinhos, Caldas Novas, Jataí, Mineiros, Planaltina de Goiás, Formosa, Novo Gama, Uruaçu, Mara Rosa, Rio Verde, Santa Helena de Goiás, Quirinópolis, Edeia e Jaraguá.

As polícias Civil, Militar e Penal dão apoio às diligências. Para cumprimento das ordens judiciais, participam da operação 10 promotoras e promotores de Justiça, servidoras e servidores do MPGO, 7 delegados de Polícia, 37 agentes policiais civis, 84 policiais militares e 246 policiais penais.

Megaoperação

Ela ocorre de forma simultânea em todo o País e conta com a participação de 43 promotores de justiça e 40 servidores dos Grupos de Atuação Especial de Combate aos Crimes Organizados (Gaecos) das unidades do Ministério Público sediadas no Acre, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rondônia, Pará, Paraná, São Paulo, Sergipe e Tocantins.