O prefeito de Goianésia, Leonardo Menezes, o Leozão (UB), disse ao Jornal Opção que vai acionar a Polícia Civil de Goiás (PC-GO) após a suspeita de que funcionários demitidos fizeram um “limpa” nos arquivos dos computadores da prefeitura.  

“Houve algumas situações aqui relacionadas à Secretaria de Planejamento, pasta ligada a alguns projetos de obras importantes e alguns projetos de habitação”, ressaltou. Segundo ele, houveram tentativas “de prejudicar o servidor da prefeitura, onde sumiram alguns documentos importantes de obras, sendo apagados do sistema, como projetos de grandes investimentos que estamos fazendo”.

Dentre os projetos, ele destacou a obra de um hospital que está sendo construído no município. “Mas nós estamos resolvendo, contornando a situação, buscando restaurar os backups”.

Leozão informou que todas as informações estão sendo levantadas, com acompanhamento do jurídico da prefeitura para o registro de ocorrência, passando para o âmbito da investigação policial. “Amanhã, a gente deve repassar tudo para a polícia”.

Vandalismo

Leozão comentou que a prefeitura sofreu ainda ataques de vandalismo nas redes sociais. Com postagens de conteúdo de ódio compartilhados nos canais oficiais do município. Apesar da prefeitura contar com videomonitoramento, segundo ele, não foi possível identificar autor ou autores dos atos. Todas as imagens das câmeras devem ser enviadas para a polícia, no intuito de identificar responsáveis.  

Outra maneira de localizar quem acessou o sistema e apagou dados será por meio do acesso feito no servidor de arquivos, que depende de uma senha e login.

Em vídeo que circula pelas redes sociais, o ex-secretário Rodolfo Guilherme mostra documentos da sua demissão e afirma que o prefeito “não agiu com transparência” ao dizer que foi pego de surpresa com a saída dos servidores. O vídeo em formato de entrevista é curto e ele não fala sobre atos de vandalismo.