A escritora de 19 anos que é chamada de George R. R. Martin brasileira

Ana Beatriz Brandão lança “Entre a Luz e a Escuridão”, romance que tende a se tornar best seller. Outro livro será levado ao cinema

Sérgio Prado de Oliveira

Especial para o Jornal Opção

Houve um tempo, não muito distante, que best sellers eram lançados por José Lins do Rego — “Menino de Engenho” —, José Mauro de Vasconcelos — “Meu Pé de Laranja Lima” — e Jorge Amado — “Gabriela, Cravo e Canela” e “Tieta”. Os tempos mudaram. Primeiro, surgiu Paulo Coelho, que se tornou best seller internacional — de Paris ao Texas. Hoje, Ana Beatriz Brandão, de apenas 19 anos, é a grande best seller brasileira. Há quem a chame de George R. R. Martin de saia — se é que aprova saia, rebelde que talvez seja.

Paulistana, Ana Beatriz Brandão não é, claro, nenhuma Machado de Assis, nenhuma Graciliano Ramos, nenhuma Guimarães Rosa, nenhuma Clarice Lispector, nenhuma Ana Maria Gonçalves. Porque não é uma estilista da Língua Portuguesa — a penúltima flor do Lácio (o romeno seria a última). Mas a garota escreve bem, com clareza, precisão e, aqui e ali, certa contenção. Os leitores (os seus fãs, diga-se; há uma legião deles) apreciam o banho de sangue de sua literatura. A autora mata seus personagens sem dó nem piedade. Agora, a autora precoce volta com “Entre a Luz e a Escuridão” (Verus, 252 páginas), que será lançado no dia 7 de setembro, na Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro. Best seller à vista — o que prova que os leitores estão devorando determinado tipo de literatura (há notícias de que o último romance de Cristóvão Tezza, um dos maiores prosadores brasileiros da atualidade, vendeu menos de 200 exemplares).

Humanos, vampiros e metacromos (pessoas com poderes especiais) são os personagens do romance de Ana Beatriz Brandão. No Instagram (@anabiabrandao), a autora escreveu, aparentemente divertindo-se com a própria surrealidade: “Eu não sei dizer não aos meus personagens. Se eles querem me contar uma história de amor, eu escrevo. Se é terror, eu escrevo. Se é fantasia com vacas voadoras, eu escrevo. Eles mandam em mim, já aceitei isso. (…) A cada lançamento maluco que eu faço, de histórias que vocês não esperam, eu admiro e agradeço ainda mais pelos leitores que eu tenho”.

Ana Beatriz Brandão: é preciso admitir, na literatura que faz, de entretenimento e sem altas pretensões literárias, que se trata de uma autora competente. Sua literatura convence, entretém, diverte e prende os leitores. Vale ler sua prosa sem compará-la com os grandes da literatura brasileira | Foto: Facebook da autora

Sinopse enviada pela editora: “O aguardado segundo volume da série ‘Sob a Luz da Escuridão’, da autora do best-seller ‘O Garoto do Cachecol Vermelho’. Lollipop assume a liderança da Área 4 e comanda tudo com mãos de ferro. Depois que novas áreas são conquistadas, o clã está mais poderoso do que nunca. Com a ajuda de um novo aliado, Sam, Lolli e Jazz se preparam para interceptar um dos maiores contêineres enviados pelo Instituto. E quando tudo sai do controle, um grupo de guerrilheiros precisa partir em uma missão suicida que os levará ao encontro do maior inimigo dos metacromos. Destemida, rebelde, divertida e incansável… Uma garota repassa essas palavras em sua mente como um mantra que a mantém equilibrada e a torna forte para obedecer às ordens que recebe de uma voz desconhecida. Programada para trabalhar arrecadando dinheiro para o Instituto LTG, ela é capaz de tudo para se manter viva. Até mesmo matar”.

Ana Beatriz Brandão tem 19 anos e escreveu cinco livros | Foto: Facebook da autora

Dados sobre a autora: “Com 5 anos já era uma ávida leitora, aos 13 iniciava uma jornada cercada de magia junto aos seus personagens e atualmente, com 19 anos, já publicou cinco livros e embarca na forte emoção de acompanhar o filme baseado em seus dois best-sellers, ‘O Garoto do Cachecol Vermelho’ e ‘A Garota das Sapatilhas Brancas’. Targaryen, potterhead, narniana, semideusa e tributo, Ana Beatriz Brandão vive intensas aventuras todos os dias e celebra suas publicações, desde a mais recente obra ‘Sob a Luz da Escuridão’, até aquela que pela primeira vez cativou o público, ‘Sombra de um Anjo’. Não esquece as emoções vivenciadas em ‘Caçadores de Almas’ que também tem um valor inestimável à jovem escritora. Seu maior sonho é poder continuar contando suas histórias para todos aqueles que, assim como ela, acreditam que os livros são a melhor forma de tocar o coração das pessoas e mudar suas vidas”.

J. K. Rowling, autora de “Harry Potter”, está se aventurando numa prosa mais sofisticada. É provável que, mais madura, Ana Beatriz Brandão salte dos atuais temas para uma literatura mais densa? É possível. Mas, é preciso admitir, na literatura que faz, de entretenimento e sem altas pretensões literárias, que se trata de uma autora competente. Sua literatura convence, entretém, diverte e prende os leitores. Vale ler sua prosa sem compará-la com os grandes da literatura brasileira. A garota sabe escrever. É o primeiro e grande passo.

Sérgio Prado de Oliveira é formado em Letras.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.