Uma campanha online já arrecadou mais de € 247 mil (cerca de R$ 1,3 milhão) em apoio ao brasileiro Caio Benício, que de maneira heróica interrompeu um ataque com faca a crianças no centro de Dublin na quinta-feira (23). O ataque provocou um protesto violento na capital irlandesa por manifestantes anti-imigração, que alegam que o autor do ataque era estrangeiro, embora as autoridades não tenham confirmado essa hipótese.

A campanha no site gofundme.com para o entregador brasileiro, intitulada “compre uma cerveja para Caio Benício”, tinha uma meta inicial de € 200 mil. Além disso, outra arrecadação conseguiu € 81 mil para um funcionário da escola que estava cuidando das crianças no momento do ataque e contribuiu para mantê-las seguras.

Uma das três crianças esfaqueadas na rua em frente à escola permanece em estado crítico, conforme relatado pela ministra da Justiça da Irlanda nesta sexta-feira (24). Até o momento, as autoridades não divulgaram a nacionalidade do agressor e ainda estão investigando a motivação por trás do ataque.

Benício estava passando próximo a uma escola quando testemunhou um homem iniciando um ataque com faca contra cinco pessoas, incluindo três crianças. Agindo por puro instinto, conforme ele relatou à imprensa local, ele pulou da moto que conduzia e usou seu capacete para deter o agressor, impedindo a continuidade do ataque.

Após os confrontos entre a polícia e manifestantes, que expressavam slogans anti-imigração na rua O’Connell, o transporte público na cidade foi suspenso. A ministra da Justiça, Helen McEntee, denunciou o ocorrido, afirmando que um grupo de pessoas está utilizando o terrível ataque para semear divisão.

No tumulto subsequente ao ataque, viaturas e ônibus foram incendiados, lojas saqueadas, e a polícia deteve 34 pessoas. Benício, ao comentar sobre os eventos após o ataque, declarou: “Parece que eles não gostam de imigrantes. Bem, eu sou um imigrante e fiz o que pude para tentar salvar aquela menina”. O primeiro-ministro Leo Varadkar, em uma declaração nesta sexta-feira, afirmou que os acontecimentos do dia anterior não refletem os sentimentos dos irlandeses, uma nação de imigrantes.

Leia mais: