A Justiça espanhola, por meio da juíza Maria Concepción Canton Martín, determinou a prisão preventiva e sem direito a fiança para o jogador Daniel Alves, nesta sexta-feira 20. O pedido foi feito pelo Ministério Público do país, com base em acusação de agressão sexual a uma mulher em uma boate de Barcelona, Espanha, ao fim de 2022.

Mais cedo, o jogador já havia sido detido pela polícia local, enquanto prestava depoimentos sobre o caso. Daniel se apresentou ao tribunal e chegou ao local algemado, enquanto aguardava o julgamento ao lado de outros detentos.

A denúncia de agressão sexual foi feito por uma espanhola, que afirma que Daniel teria praticando violência sexual durante uma festa realizada em uma boate em Barcelona, na Espanha, no último dia 30 de dezembro. Segundo informações da agência de notícias Reuters, o jogador a tocou debaixo da saia.

Daniel, confirmou que estava em festa no local na data do ocorrido, mas negou que tenha cometido qualquer agressão e que não houve nenhum contato com a vítima. Ao programa de TV espanhol ‘Y ahora Sonsoles’, o jogador declarou que estava apenas dançando na festa.

“Eu estive nesse lugar, e quem me conhece sabe que eu adoro dançar, mas sem invadir o espaço de ninguém, respeitando os espaços. E quando você vai ao banheiro não tem que perguntar quem está lá para usar o banheiro. Não sei quem é essa senhorita, nunca a vi. Nestes anos todos nunca invadi o espaço de ninguém sem autorização”, declarou

Atualmente contratado pelo Pumas, clube mexicano, Daniel Alves estava na Espanha desde a semana passada, em razão da morte da mãe de sua esposa.