As Forças Armadas de Israel anunciaram neste sábado, 14, a intenção de executar um “ataque coordenado por ar, mar e terra” à Faixa de Gaza. Em nota, o governo fala “expansão do combate”. Informações dão conta de que as forças de Defesa de Israel estão apoiadas por extenso esforço logístico e pela mobilização de centenas de milhares de militares. Fala-se em uma ampla gama de planos operacionais ofensivos que incluem, entre outras coisas, um ataque integrado e coordenado por ar, terra e mar.

“Com o suporte de um grande esforço logístico e centenas de milhares de reservistas recrutados, as Forças de Defesa de Israel (FDI) se preparam para implementar uma vasta gama de planos ofensivos operacionais, que podem incluir ataques combinados e coordenados por via aérea, marítima e terrestre”, afirmou o comunicado.

Na sexta-feira (13), o Exército de Israel emitiu uma ordem de desocupação do norte de Gaza em 24 horas. O prazo foi prorrogado até às 10h deste sábado, horário de Brasília.

Avichay Adraee, porta-voz das Forças de Defesa de Israel, comunicou a medida e detalhou detalhes sobre rotas seguras pelo sul do território para a saída dos civis.

Em meio à desocupação, Israel seguiu com ataques na região. Autoridades palestinas denunciaram que mísseis israelenses teriam matado civis que deixavam a área, incluindo mulheres e crianças. O número de mortos de ambos os lados passa de 3,2 mil.

Medindo forças com Israel, também neste sábado, o ministro das Relações Exteriores do Irã pediu que o país interrompa seus ataques a Gaza, alertando que a guerra pode se expandir para outras partes do Oriente Médio se o Hezbollah se juntar à batalha, e isso faria Israel sofrer “um enorme terremoto”.

Leia mais: