Na manhã desta sexta-feira, 3, durante entrevista à GloboNews, o ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, o professor e advogado Silvio Almeida, informou que o governo federal apura a denúncia de que 30 meninas Yanomami foram abusadas e engravidaram de garimpeiros ilegais nas terras indígenas. O Ministério Público Federal (MPF) irá investigar o caso. Representantes da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) e da Coordenação de Operações Emergenciais do Ministério da Saúde também estão acompanhando os casos.

Segundo o ministro, a informação foi obtida a partir de um relato feito pela equipe dele, que esteve nos territórios indígenas em Roraima. O objetivo da equipe, primordialmente, era de ouvir os yanomami e colher relatos sobre o que está acontecendo. A pasta irá fazer um grande relatório sobre a violação dos direitos humanos na crise humanitária.

“Estamos fazendo um relatório de violação de direitos humanos neste contexto, e a Secretaria Nacional da Criança e do Adolescente, ao colher as informações, chegou a informação de que haveria ao menos 30 adolescentes grávidas dos garimpeiros”, informou o ministro.

Os relatos sobre garimpeiros que estupram mulheres e meninas yanomami já foram citados por lideranças em outros relatórios sobre os invasores na reserva. “Vamos pegar os relatos, ouvir as pessoas, e assim que completos os relatos, que temos que ouvir com muito cuidado e responsabilidade, nós vamos enviar isso para as autoridades competentes para que aja investigação”, encerrou o ministro.

*com informações do G1 e GloboNews