A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás (Semad) confirmou irregularidades e multou o proprietário da Fazenda Boa Vista, Antonio Carlos Lassi Lopes, em cerca de R$ 40 mil. A secretaria recebeu uma denúncia de desmatamento ilegal da associação de moradores da ecovila Condomínio Habitat, em São João d’Aliança-GO, portal da Chapada dos Veadeiros.

O dono do imóvel obteve licença para supressão de vegetação nativa do Cerrado em 400 hectares, mas extrapolou os limites permitidos e avançou sobre Área de Preservação Permanente (APP). Além disso, ateou fogo nos restos do material extraído, configurando um segundo crime ambiental.

“A secretaria fez a fiscalização e constatou que o proprietário da área havia desmatado em Área de Preservação Permanente, fora da licença. Essa área foi autuada e embargada. Em relação ao uso do fogo para limpeza da área, informamos que a licença expedida possui expressa vedação para essa prática. O texto diz: ‘Fica vedado o uso de fogo como técnica de supressão de vegetação ou limpeza de área’. As medidas administrativas relacionadas ao caso serão tomadas”, esclarece trecho da nota da Semad. O Ministério Público, por meio da Promotoria de Alto Paraíso-GO, também vistoriou a região e instaurou notícia de fato criminal para apurar o caso.

Em 2011, o fazendeiro estava na lista dos empregadores investigados por trabalho escravo. Com 251 nomes, o documento foi revelado pelo Ministério do Trabalho e mostrou Goiás como o estado que mais resgata pessoas em condições análogas a escravidão. Os trabalhadores foram resgatados na Fazenda Macaúbas de Baixo, de propriedade de Lassi.

Além do Café Export, Antonio Carlos Lassi Lopes também é proprietário das empresas LL Participações e Empreendimentos Imobiliários LTDA, Auto Viação São Judas Tadeu LTDA, Cialtra empresa de transportes limitada e Expojet Taxi Aéreo LTDA.

O temor das famílias da região é de que a nova atividade na fazenda vizinha comprometa a qualidade das fontes de água que as abastecem. Além disso, reclamam da restrição ao acesso às cachoeiras do Vale do São Pedro, historicamente visitadas pela população local e turistas.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima, as regiões da Serra do Paranã e do Vale do Paranã, onde estão localizadas a Fazenda Boa Vista e a ecovila Condomínio Habitat, são classificadas como de prioridade Muito Alta para a Conservação, Utilização Sustentável e Repartição dos Benefícios da Biodiversidade Brasileira.

O Jornal Opção não conseguiu localizar a defesa de Antonio Carlos Lassi Lopes para posicionamento.