Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou nesta terça-feira, 6, relatório de totalização de votos das eleições presidenciais deste ano e proclamou eleitos Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSB), para os cargos de presidente da República e vice, respectivamente. O tribunal também aprovou a prestação de contas da campanha.

O presidente do TSE, Alexandre de Moraes, considerou que não há impedimentos para a proclamação dos resultados, uma vez que não há processos em andamento questionando a inelegibilidade deles.

Com isso, anunciou oficialmente que a diplomação será na próxima segunda-feira, 12. A análise do relatório e a posterior proclamação dos resultados são procedimentos de praxe, complementares ao anúncio do vencedor, realizado pelo TSE logo após o pleito.

Prestação de contas

A aprovação de contas da campanha também foi por unanimidade. A campanha da chapa Lula-Alckmin relatou à Justiça Eleitoral que a receita obtida para a disputa eleitoral alcançou R$ 135 milhões.

A maior parte dos recursos, R$ 122 milhões, foi obtida pelo fundo público que financia campanhas eleitorais. Já as despesas chegaram a R$ 131 milhões. Houve uma sobra de campanha de R$ 166 mil.

No último sábado, 3, em parecer ao tribunal, o Ministério Público Eleitoral opinou a favor da aprovação da prestação de contas