Diversos documentos encontrados em corpos de terroristas mortos do Hamas apontam que o ataque no sul do país havia sido planejado com antecedência. Segundo as Forças de Defesa de Israel (IDF), as datas apontavam para outubro do ano passado, o que indica mais de 1 ano de planejamento. Ao todo, o material encontrado tinha 14 páginas e era rotulado como “Ultrassecreto”, além de ter o emblema das Brigadas de Al-Qassam.

Segundo os detalhes das ordens no documento, o principal objetivo era atacar vilarejos com civis, em busca de mulheres e crianças. As ordens também detalhavam instruções para “assassinar o máximo possível” e levar reféns para a Faixa de Gaza. Dentro dos planos, estava planejado ataques em escolas e um centro juvenil no kibutz Kfar Sa’ad.

Além das ordens para matar e sequestrar civis israelenses, o documento lista o cronograma de ataques, além de outros detalhes, como os veículos utilizados. Também foi explicado o passo-a-passo de como eles seriam utilizados durante a invasão.

Apesar dos detalhes, a IDF ainda precisa confirmar a autenticidade do material, principalmente se as táticas descritas realmente foram as mesmas utilizadas. Junto das instruções, socorristas israelenses também encontraram cheques de pagamentos no corpos de terroristas e informações estratégicas sobre blindados de Israel e os kibutz atacados.