Durante a manhã desta quarta-feira, 07, o Ministério Público de Goiás (MPGO) deflagrou a segunda fase da Operação “Limpeza Geral” em vários municípios goianos. A ação investiga a ação de um grupo criminoso que praticou crimes contra a administração municipal. Ao todo, foram cumpridos 22 mandados de prisão preventiva e 50 mandados de busca e apreensão.

De acordo com o MP, os investigados receberam mais de R$ 300 milhões, entre 2015 e 2022, em empenhos pagos por municípios do Estado. O grupo criminoso utilizava empresas em nomes de laranjas, com o objetivo de simular concorrências em licitações. 

De acordo com as investigações, foram identificados indícios de fraudes nas licitações em 34 municípios goianos: Alto Horizonte, Amorinópolis, Anápolis, Araguapaz, Cachoeira de Goiás, Campo Limpo, Corumbá de Goiás, Cristalina, Crixás, Formosa, Goianésia, Hidrolândia, Itauçu, Jaraguá, Leopoldo de Bulhões, Luziânia, Mutunópolis, Nova Crixás, Nova Iguaçu, Novo Gama, Ouro Verde , Palmeiras de Goiás, Pilar de Goiás, Pirenópolis, Rianápolis, Rio Verde, Rubiataba, Santa Helena de Goiás, Santa Terezinha de Goiás, Santo Antônio do Descoberto, São Luís de Montes Belos, Senador Canedo, Uruaçu e Uruana.