Depois da repercussão do caso do homem que invadiu um estúdio de rádio e começou a agredir verbalmente e a ameaçar a equipe que trabalhava, comandada pelo radialista Mamede Leão, a assessoria do prefeito de Catalão, Adib Elias (sem partido), divulgou uma nota sobre o assunto.

Na ocasião, os comentaristas comentavam que estaria sendo ameaçados por um suposto motorista do prefeito, conhecido como Juninho, estaria intimidando a equipe da emissora. Foi quando o homem invadiu o estúdio aos gritos, fazendo ameaças e empurrando quem via pela frente.

De acordo com a nota, o episódio em questão tratou-se única e exclusivamente de questões de cunho particular, envolvendo familiares de Jardel Custódio. Em declarações a uma emissora de rádio local, ele afirmou que “a sua conduta se deveu a ataques à honra e dignidade do seu irmão (Júnior Custódio), tendo agido em defesa da honra e da família”.

A assessoria explica que Jardel Custódio nunca teve vínculo empregatício com a Prefeitura de Catalão ou relações políticas ou partidárias que o vinculem ao prefeito. De acordo com suas próprias declarações e afirmações, segundo a nota, feitas diretamente ao ex-prefeito Jardel Sebba, a sua única atividade política se deu nas campanhas do deputado Gustavo Sebba (PSDB), filho do ex-prefeito.

A nota garante ainda que o prefeito Adib Elias “lamenta, profundamente, o ocorrido” e que o envolvimento do seu nome com a questão foi leviano. A nota diz ainda que o prefeito já está “tomando providências jurídicas contra aqueles que o implicaram no acontecimento” e que “espera providências imediatas por parte das autoridades legais”.

Caso repercute na Assembleia

Na manhã desta terça-feira, 23, o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Bruno Peixoto (UB), determinou segurança 24 horas para o deputado Gustavo Sebba (PSDB). O parlamentar denunciou que tem recebido ameaças vindas do cidadão que invadiu a rádio de Catalão.

Bruno garantiu que vai agir com todo o rigor que o caso merece e afirmou que riria registrar um boletim de ocorrência e encaminhar par ao Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO).