Moradores de Goiânia e Região Metropolitana seguem com problemas no fornecimento de energia elétrica nesta terça-feira, 1º, após forte tempestade que caiu em Goiânia ao fim da tarde dessa segunda, 31. A distribuição está comprometida desde meados da tarde, entre 16h30 e 17h, e segue com problemas em algumas regiões da cidade.

A atriz e empresária Eliza Araújo, de 27 anos, é moradora do Parque Amazônia e relata que está sem energia em casa desde as 16h30 dessa segunda-feira, 31. Ela conta que chegou a entrar em contato com o atendimento da Enel na manhã desta terça, mas não recebeu nenhuma solução. “Às 7h30 disseram que iam mandar atendimento de emergência até às 9h40, mas até agora nada”, conta Eliza.

Até o horário de publicação da matéria, a Enel ainda não havia apresentado atendimento no local.

“Estou indignada! Falam de emergência após mais de 12 horas e quando reclamamos dizem que ‘o conselho é aguardar’. Isso é um absurdo!”, comenta.

Um outro morador do Parque Amazônia, que preferiu não se identificar, contou que a energia chegou a voltar por algumas vezes, mas ou caía logo em seguida, ou não funcionava adequadamente. “Lá em casa chegou a parecer que estava normal em alguns momentos, mas só tinha como acender as lâmpadas, nenhum outro equipamento funcionava”, comenta.

Além dos contratempos criados por impossibilitar a realização de tarefas pessoais e profissionais, a instabilidade gera também preocupação com a segurança dos equipamentos. “Tive que desligar tudo, porque a instabilidade deixava equipamentos apitando e fazendo barulhos que com certeza não dão bons sinais. Está impossível!”, desabafa.

Fortes rajadas de ventos causaram quedas de árvores e danos à rede elétrica da cidade, comprometendo a distribuição em diversos bairros. Segundo a Enel Goiás, os bairros mais impactados foram Setor Bueno, Setor Aeroporto, Setor Ferroviário, Setor Marista, Setor Nova Suíça e Parque Amazônia.

Ainda ontem, a Enel chegou a dizer que a média de tempo para volta do fornecimento de energia era de três horas. Quase 17h depois, no entanto, ainda há problema de fornecimento. A reportagem tentou contato com a Enel Goiás para esclarecimentos, mas até o fechamento deste material, não obteve respostas.