Foi suspenso o perfil do frigorífico Goiás no Instagram. A medida atende ao pedido do Tribunal Regional Eleitoral em Goiás, feito na noite de sábado, 29. A empresa é declaradamente pró-Bolsonaro e enfrenta denúncias de abuso de poder econômico e propaganda eleitoral irregular por vender carne a R$ 22, em apoio à candidatura do presidente Jair Bolsonaro (PL), no primeiro turno.

A decisão pela suspensão da rede social do frigorífico foi proferida pelo juiz Wilton Müller Salomão, que atendeu à manifestação da procuradoria e ao pedido da Federação Brasil da Esperança (PT/PC DO B/PV). Os procuradores juntaram fotos da rede social do frigorífico para comprovar as irregularidades nas promoções anunciadas pelo perfil.

Em uma das postagens o perfil do frigorífico anuncia “promoção das galáxias”. “Dois Patinhos por apenas R$ 22”, diz o anúncio, que também mostra uma faca com o nome Bolsonaro em relevo. O estabelecimento ainda faz promoção na venda de carvão para propagar o número do presidente nas urnas. “Na compra de qualquer kit churrasco ou picanha mito, o carvão sai a 22 centavos”.

Segundo reportagem publicada pelo Jornal Folha de São Paulo, na decisão, o juiz mandou o Frigorífico Goiás parar de praticar qualquer ato comercial em seu estabelecimento ou na internet, utilizando-se da divulgação de preços de mercadorias ou por qualquer outra forma que tenha a finalidade de promover, ainda que disfarçadamente, candidatura nas eleições de 2022.

O magistrado também determinou multa de R$ 100 mil por hora de descumprimento.