Por Letícia Brito e Ângela Moureira

Nesta semana, vieram à tona especulações sobre a possibilidade de Luciano Bivar, presidente do União Brasil e pré-candidato à presidência da república, abrir mão da disputa para apoiar Lula (PT) no primeiro turno. O deputado federal e pré-candidato ao Senado, Zacharias Calil (UB) disse ter ficado surpreso com a notícia. 

“Não foi discutido [no partido] e os jornais estão noticiando, então ficou ruim. O Bivar mandou mensagem para nós agora, no grupo, dizendo que não tem nada oficial, que não existe isso, e que vai ouvir os deputados e tomar a decisão de forma democrática. Disse que vai conversar com todo mundo para ver qual a decisão. A minha, de antemão, é de apoio a Bolsonaro.”, disse Calil ao Jornal Opção, na noite desta sexta-feira (29).

Em entrevista, Bivar admitiu ter tido conversas com o Partido dos Trabalhadores. A especulação é de que, caso apoiasse Lula, o presidente do UB tentaria reeleição à Câmara dos Deputados e teria aval do petista em uma possível candidatura à presidência da Casa.

Perguntado sobre a possível aliança do UB com o PT, o pré-candidato ao Senado, deputado Delegado Waldir (UB) lembra que o governador Ronaldo Caiado (UB) não havia se manifestado em relação a apoio para presidente: “continua da mesma forma”, afirma. “Caso o União Brasil faça esta opção, deve liberar todos os deputados para fazer suas escolhas políticas”, disse ao Jornal Opção.  “Aqui, os parlamentares do União Brasil são todos de direita, então não iriam se alinhar a esta decisão partidária”, conclui.

O possível apoio de Bivar a Lula tem reflexos no cenário local. Em Goiás, PT e PSDB estudam uma aliança, por meio do nome de Marconi Perillo (PSDB). Apesar da pré-candidatura de Wolmir Amado ao governo estadual, pelo Partido dos Trabalhadores, a união não é descartada.

Deputado Zacharias Calil acredita que a conversa entre Bivar e PT “colocou Caiado em uma situação ruim” e exemplifica: “como o governador vai apoiar Bolsonaro no primeiro turno com Major Victor Hugo (PL) candidato ao governo?”, pontua. 

Por outro lado, no último dia 25, durante evento da transferência simbólica da capital para a Cidade de Goiás, Caiado defendeu que a escolha de presidente da república e governador são independentes, por parte do eleitorado. “Eu nunca fiz uma campanha com Presidente da República”, afirmou. Caiado, que até então, não declarou apoio a nenhum candidato à presidência, lidera nas intenções de voto para o governo estadual, segundo pesquisas. Na mais recente, Real Time Big Data, divulgada ontem, o candidato à reeleição ampliou vantagem e alcançou os 37% de intenções de voto.