Números desta quarta-feira, 28, do Instituto Paraná Pesquisas revelam que o candidato ao Governo de Goiás Gustavo Mendanha (Patriota) chega às véspera da eleição com 19,5% das indicações estimuladas, praticamente o mesmo índice da rodada anterior (19,6%) e menos do que tinha em junho (21,9%). A distância entre o candidato à reeleição a governador Ronaldo Caiado (União Brasil) e o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia é de 32,3 pontos percentuais.

Os resultados apontam que o bacharel em Educação Física não demonstra capacidade de reação nesta reta final da campanha eleitoral, e ainda sem programação de agenda para 1º de outubro, um dia antes do primeiro turno. Além disso, quem acompanha as movimentações dele constata presença reduzida de lideranças nos eventos, principalmente carreatas e adesivaços, Estado afora.

Nos bastidores, interlocutores mostram que essa desidratação do ex-prefeito de Aparecida foi cometida por uma “sucessão de erros”, que teve início na escolha de abandonar a Prefeitura de Aparecida de Goiânia. Em seguida a desfiliação do MDB e, por fim, a escolha de disputar o governo e jamais ter cogitado, por exemplo, mandatos precursores como a Assembleia Legislativa, a Câmara Federal ou mesmo o Senado.

Para eles, quando um político tenta queimar etapas, o mais comum é a derrota e, em seguida, a desmobilização das pessoas em torno da liderança. Isso significa que dias amargos estão por vir para o ex-prefeito, que será obrigado a retornar para a provinciana Aparecida e não terá chances de nova candidatura até daqui a 4 anos, a não ser que queira disputar um mandato de vereador.

E para piorar a situação, parte da base política de Mendanha, já consciente da iminente derrota eleitoral dele, está se dissolvendo. Os primeiros políticos a debandar foram os candidatos a deputado federal e estadual – como os deputados federais Magda Mofatto, Professor Alcides Ribeiro, ambos do PL, e Alcides “Cidinho” Rodrigues, do Patriota, mesmo partido do ex-prefeito.

No entanto, os casos mais graves estão ocorrendo em Aparecida de Goiânia. O presidente da Câmara Municipal, André Fortaleza (MDB), faz campanha para Marconi Perillo (PSDB) para o Senado, abandonando João Campos, que disputa o mesmo cargo na chapa de Mendanha. Embora Fortaleza insista em desmentir que não está na campanha do ex-prefeito, ele não tem comparecido aos eventos do Patriota.