O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) informou que, até as 15 horas deste domingo, 30, 71 urnas eletrônicas precisaram ser substituídas no estado. Substituições acontecem quando existe algum problema técnico na urna ou próprio local de votação, como quedas de energia.

A substituição de urnas eletrônicas é um procedimento normal a cada eleição, e a Justiça Eleitoral já prepara previamente milhares de equipamentos reserva que podem ser colocados em operação de imediato.

Até o momento, foram registradas 146 ocorrências de urnas que apresentaram algum tipo de instabilidade em Goiás. Além disso, houve 498 denúncias pelo aplicativo Pardal e 2040 atendimentos através da ferramenta tele-eleitoral.

Como última opção, caso não se possa substituir a urna eletrônica por outra, é possível que seja adotada a votação manual, com cédulas de papel, em urna de lona. Até o momento, isso não foi necessário em nenhuma seção eleitoral do país, informou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Brasil

No terceiro boletim divulgado neste domingo, 30, o TSE informou que em todo o país 2.630 urnas eletrônicas precisaram ser substituídas após apresentarem algum tipo de mau funcionamento. Foram contabilizadas ocorrências até as 13h40.

Para o segundo turno, a Justiça Eleitoral mobilizou cerca de 537 mil urnas eletrônicas, das quais 64.918 são de contingência, ou seja, ficam de reserva para serem acionadas em caso de necessidade.

Neste ano, pela primeira vez, todas as seções eleitorais do Brasil ficam abertas das 8h às 17h no horário de Brasília. Nas localidades com outro fuso, portanto, o horário é adaptado de acordo com o horário local.