O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, negou nesta quarta-feira, 26, o pedido da campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) para investigar possível irregularidades em inserções eleitorais por emissoras de rádios. Ministro Alega que as provas são inconsistentes.

Na segunda-feira, 24, Bolsonaro alegou que as rádios deixaram de exibir inserções da propaganda eleitoral dele. A campanha pediu a investigação e também para que as inserções do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), deixassem de ser exibidas.

“Os requerentes não trouxeram qualquer documento suficiente a comprovar suas alegações, pois somente juntaram documento denominado de ‘relatório de veiculações em Rádio’, gerado por uma empresa – ‘Audiency Brasil Tecnologia’ – não especializada em auditoria e cuja metodologia não oferece as condições necessárias de segurança para as conclusões apontadas pelos autores, conforme se verificará adiante”, alegou o ministro.