O Estado de Goiás atingiu um novo marco na abertura de empresas, ao registrar 33.847 novos CNPJs ao longo de 2023. O número superou o recorde anterior registrado de 2021, quando foram contabilizados 33.082 novos negócios. Os dados foram divulgados pela Junta Comercial de Goiás (Juceg), que evidenciou o impacto positivo das iniciativas de desburocratização e digitalização implementadas desde 2019.

O presidente da Juceg, Euclides Barbo Siqueira, destaca que o crescimento demonstra o potencial econômico e empreendedor do Estado. Com mais empresas abertas, espera-se um aumento significativo na geração de empregos e no desenvolvimento do setor produtivo. “O maior número de aberturas aconteceu por aquelas empresas de serviços combinados de escritório e de apoio administrativo”, enfatiza Siqueira. Segundo o presidente, essas empresas são escritórios contábeis e advocatícios.  

“Em segundo lugar, foram as empresas que fizeram a preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo. São empresas que ajudam as demais empresas a permanecerem abertas, vamos dizer assim”, pontua. Nesta área, estão empresas que elaboram e mantêm sites; e as especializadas em redes sociais, por exemplo.

Para este ano, Siqueira sinaliza tendência de crescimento de registro de CNPJs. “A nossa expectativa para 2024 é muito boa, porque já conseguimos sanar as dificuldades que foram deixadas pela pandemia [da Covid]. Agora, o empresário está conseguindo ver um cenário bem melhor do que era os anos anteriores”, compara. “Nunca se abriu tanta empresa nesses anos anteriores em relação a 2023”, arremata.

Fórmula bem-sucedida

Siqueira ressalta outras iniciativas de sucesso em Goiás, como a parceria entre Juceg, Corpo de Bombeiros e Sebrae, que permitiu a obtenção digital e imediata do Certificado de Conformidade (Cercon), também conhecido como Alvará de funcionamento, para empresas de até 750 metros quadrados. A ação, que antes demandava de 10 a 15 dias, agora é automatizada, o que impacta positivamente cerca de 95% das empresas que necessitam desse documento no processo de abertura e atualizações anuais.

Segundo o presidente do órgão, anteriormente, o tempo para obtenção de um novo CNPJ era de dias e até meses, mas com o processo online, essa espera foi reduzida para poucas horas. Siqueira acentuou que a Juceg foi reconhecida nacionalmente como a Junta mais rápida do País, com tempo médio de 16h para emissão de CNPJ.

Leia também: Mais de 28 mil novas empresas foram abertas em Goiás só em 2023
“Desburocratização faz com que Goiás bata recordes”, diz presidente da Juceg sobre abertura de empresas no Estado