O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou nesta segunda-feira, 8, o nome dos dois indicados pelo governo para compor a diretoria do Banco Central (BC). 

Gabriel Galípolo, secretário-executivo da pasta, foi indicado para a diretoria de política monetária, enquanto Ailton Arquino dos Santos foi apontado para assumir a diretoria de fiscalização da autarquia. “Portanto, os dois nomes que serão endereçados ao Senado Federal e, se aprovados, ocuparão as duas cadeiras”, afirmou o ministro.

O governo Lula trava uma batalha com o presidente do Banco Central desde a eleição. O presidente alega que o comando do BC é irresponsável ao manter as taxas básicas de juros em níveis tão elevados. O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu pela manutenção da Taxa Selic em 13,75% ao ano.

Quem é Galípolo

Galípolo é formado em Ciências Econômicas e mestre em Economia Política pela PUC de São Paulo. Ele chefiou a Assessoria Econômica da Secretaria de Transportes Metropolitanos de São Paulo, durante o governo de José Serra (PSDB). Gabriel presidiu o banco Fator, que atua em programas de privatização. 

Primeiro negro em diretoria do BC

Auditor chefe do BC, Aquino Santos será o primeiro diretor negro do Banco. Atuando na autoridade monetária há 25 anos, e, assim como Galípolo, deverá ter a nomeação aprovada no Senado. Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Estado da Bahia(1997) e graduação em Direito pela UDF Centro Universitário(2007).