A idade média dos brasileiros que se aposentaram pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aumentou 2,79 anos nos últimos três anos, especificamente depois da reforma da Previdência, em novembro de 2019. A média de idade passou de 57,9 anos (2019), para 59,7 anos, em 2020, atingindo 60,7 anos em 2021.

Os dados fazem parte de um artigo que aborda o impacto da reforma, que foi publicado no Informe nº 8 do Ministério do Trabalho e Previdência, em julho deste ano. O estudo também mostra que esse incremento ocorreu de forma desigual entre homens e mulheres.

Enquanto a idade média de aposentadoria dos homens, entre 2019 e 2021, aumentou de 58,7 para 62,23 anos (alta de 3,53 anos), para as mulheres o avanço foi de 57,25 para 59,26 (alta de cerca de 2 anos). O estudo destaca que em 2019 a idade média de aposentadoria dos homens era 1,45 ano mais alta que a das mulheres. Já em 2021, essa diferença se elevou para 2,97 anos.

Entre os fatores que explicam o maior impacto da reforma entre homens, está o fato de que as aposentadorias por tempo de contribuição e especial, que estão entre as mais afetadas pela mudança ocorrida em 2021, são predominantemente concedidas a pessoas desse gênero.

Outro grupo bastante afetado pelas mudanças na Previdência foi o de professores. Nesse caso, a idade média aumentou de 52,9 para 55,75 anos, ou seja, apresentou alta de 2,85 anos, também entre 2019 e 2021.