Para além das dúvidas ligadas diretamente ao futebol, há duas perguntas que não querem calar para o pós-Copa do Mundo de 2022: ‘quem será o substituto de Galvão Bueno para a Copa de 2026?’ e ‘será mesmo que Galvão deixará o seu posto até a próxima Copa?’.

Praticamente todos estão cravando que a Copa do Mundo do Catar será a última de Galvão Bueno como narrador, ele inclusive. Eu, particularmente, estou incrédulo quanto a essa possibilidade. O narrador está com 72 anos e no Mundial dos Estados Unidos, Canadá e México em 2026, estará com 76 anos de idade. Pelo que tem mostrado, chegará lá ainda com um bom fôlego.

Galvão chegou na Globo em 1981, devido ao grande sucesso da sua bela voz nas transmissões da Fórmula 1 da Band em 1980, vindo a assumir o posto de principal narrador da emissora, sete anos depois. Na Copa de 1990, já era o comandante da equipe.

No Catar, ele chega à sua nona Copa do Mundo: 1990, 1994, 1998, 2002, 2006, 2010, 2014, 2018 e agora em 2022. Narrou o tetra em 1994 – quem não se lembra do “Acabou! É tetra, é tetra, é tetra!!”? – e oito anos depois o penta, em 2002. Esteve abrilhantando as Olimpíadas de 1996, 2000, 2004, 2008, 2016 e 2021. Alguém duvida que ele queira chegar à décima?

No entanto, como tudo chega ao fim, a presença de Galvão na narração esportiva da emissora dos irmãos Marinho parece estar realmente com os dias contados. O contrato do narrador chegará ao fim logo após a Copa do Catar. Segundo o portal Terra, houve um acordo entre as partes e ele assinará um novo contrato que vai até 2024. Agora, porém, não será mais como locutor.

Ao que parece, o esforço da emissora para mantê-lo, está exatamente na dificuldade em substituir o ícone da narração esportiva brasileira.

Quais são os narradores do plantel da emissora mais cotados para substituir Galvão? Tudo indica que a substituição não ocorrerá com os mais velhos da casa, Cléber Machado ou Luís Roberto. Nesse cenário, a escolha deve ficar entre Gustavo Villani e Everaldo Marques, que tem atuado tanto pelo SporTV como pela Rede Globo – na Copa, Everaldo está fixo no canal fechado, mas fora dela tem feito participações frequentes em transmissões abertas, especialmente em eventos veiculados no Esporte Espetacular, aos domingos.

Gustavo e Everaldo são jovens, com estilo de narração moderna e boa aceitação do público jovem. Além disso, os dois estão se saindo muito bem em suas narrações na Copa do Catar. Em algum momento a emissora precisará rever alguns conceitos no assunto narração esportiva e, num contexto de novos talentos da narração chegando principalmente por meio da internet, esses dois nomes poderão fazer a diferença.

Na transmissão do jogo contra a Suíça, Galvão chegou a impressionante marca de 50 jogos da Seleção Brasileira em Copas do Mundo, uma marca que, com certeza será difícil de ser batida.

A Globo que não poderia deixar passar batido essa data, fez uma surpresa para o narrador antes do início do jogo. A equipe de esportes, exibiu um vídeo contando um pouco da sua história em Copas, ato que deixou Galvão visivelmente emocionado, enquanto recebia cumprimentos dos seus colegas presentes.

*Cilas Gontijo é estagiário do Jornal Opção em convênio com a UniAraguaia, sob a supervisão do editor PH Mota.