Uma de suas obras mais populares é o Liebesträume n.º 3, conhecida como “Sonho de Amor”, faz parte do repertório de grandes pianistas do passado e da atualidade

No Brasil no próximo dia 12 de junho comemora-se o “Dia dos Namorados”. Com um forte apelo comercial, as vitrines e as redes sociais estão repletas de corações. O “sonho de amor” está no ar.

O que remete a Franz Liszt (1811-1886), compositor que viveu vários e conturbados casos amorosos. Uma de suas obras mais populares é o Liebesträume n.º 3, conhecida como “Sonho de Amor”, faz parte do repertório de grandes pianistas do passado e da atualidade.

“Sonhos de Amor” é um compêndio de três peças para piano publicado em 1850. Liszt tinha profunda conexão com a literatura, e, a princípio, as três Liebesträume (sonhos de amor) foram concebidas a partir de poemas de Ludwig Uhland (1787 – 1862) e Ferdinand Freiligrath (1810 – 1876). 

 Em 1850, duas versões apareceram simultaneamente como um conjunto de canções para soprano e piano, com transcrição para piano solo. Os dois poemas de Uhland e o de Freiligrath descrevem três diferentes formas de AMOR.  

O poema de Freiligrath para o terceiro famoso “noturno” fala de um amor incondicional e maduro: 

“Ame enquanto puder! A hora virá quando estiver junto ao túmulo e aos prantos” Freiligrath

Considerado um dos maiores pianistas de todos os tempos, Franz Liszt (1811-1886) nasceu na região da atual Hungria, no dia 22 de outubro de 1811. Iniciou seus estudos musicais com o pai Adam Liszt, que tocava violino e cantava na igreja.  

Devido ao seu rápido progresso e demonstração de enorme talento, a família Liszt vai morar em Viena, onde Franz estuda piano com o renomado professor Carl Czerny (1791 – 1857), e teoria musical com o famoso rival de W. A.  Mozart (1756 – 1791), o mestre capela  Antônio Salieri (1750 – 1825).  

Nos primeiros anos de estudo já se apresenta brilhantemente sendo apontado pelos  jornais da época como um fenômeno da técnica pianística.  Franz Liszt foi um dos mais proeminentes representantes “Neudeutsche Schule” (Nova Escola Alemã). Deixou obras que tanto influenciaram seus contemporâneos quanto antecipou algumas ideias e tendências do século 20.

A partir de 1830, ainda na França, estabelece sólida amizade com o pianista polonês Frédéric Chopin (1810 – 1849) e com o violinista italiano   Niccolò Paganini (1782 – 1840). Músicos que influenciaram suas obras para piano.

Liszt era muito popular, seus concertos arrebatavam grandes plateias, muitos admiradores e amores.  A “Lisztomania” dominava a Europa, e a carga emocional dos concertos de Liszt causavam a muitos ouvintes reações descritas como histéricas, lembrando os concertos de música POP da atualidade. 

Talvez, uma das inúmeras paixões de Liszt o tenham inspirado compor, a partir dos poemas,  uma de suas mais românticas obras, conhecida como “Sonho de Amor”.

Para celebrar o amor, ouviremos Sonho de Amor interpretado pelo pianista chileno Claudio Arrau (1903 – 1991).

 Observe o tema que sempre se repete, e, desfrute desta bela interpretação.