Rede de televisão readmite jornalista que se “masturbou” durante videochamada do Zoom

A CNN decidiu dar uma chance ao jornalista Jeffrey Toobin, autor de vários livros, mas a “New Yorker” o demitiu

Jeffrey Toobin, considerado um grande jornalista, tinha cadeira cativa na CNN e na revista “The New Yorker, é autor de vários livros e se formou em Harvard. Em 19 de outubro de 2020, durante uma videochamada do Zoom entre a New Yorker e os funcionários da rádio WNYC, o profissional foi pego se “masturbando”. A jornalista Masha Gessen relatou: “Ele foi visto abaixando e levantando sua câmera de computador, expondo e tocando seu pênis, e acenando [como se estivesse “jogando” um beijo] para alguém que não fosse seus colegas”. Ele tentou se justificar: “Cometi um erro embaraçosamente estúpido, acreditando que estava fora das câmeras. Peço desculpas à minha mulher, família, amigos e colegas de trabalho”. A “New Yorker” o demitiu e a WNYC o retirou, em definitivo, de suas transmissões e podcasts.

Jeffrey Toobin: jornalista americano | Foto: Reprodução

Mas a CNN decidiu dar mais uma chance a Jeffrey Toobin. Na quinta-feira, 10, ele voltou ao trabalho. Falou do incidente, com a âncora Alisyn Camerota, e comentou notícias da área jurídica (ele é advogado).

Jeffrey Toobin, ao admitir que “não há desculpas pelo que fez”, ressalvou que, como ser humano, pode cometer e cometeu um erro. “Eu pensava que outras pessoas não conseguiam me ver”, sublinhou. Ele achou que a câmera estava desligada. Ante o que disse Masha Gessen, parece que sua versão procede, pois ele, ao expor o pênis, não estava se dirigindo à câmera.

Aos 61 anos, Jeffrey Toobin tem uma história positiva no jornalismo americano. Ele continua casado com a mesma mulher.

Riscos

O trabalho em casa, que deixa as pessoas mais descontraídas, às vezes pode ser um risco, como no caso de Jeffrey Toobin. Possivelmente, ele estava conversando com outra pessoa, em jogos libidinosos, quando, com o computador ligado, começou a videochamada.

O que Kafka, Ionesco e Samuel Beckett fariam com a história? Um conto, por certo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.