Euler de França Belém
Euler de França Belém

Programa contra Dilma e o PT prova que PSDB é um partido de São Paulo, não do Brasil

Uma coisa é certa: o Centro-Oeste, o Norte, o Nordeste e o Sul não existem para o PSDB

Presidente nacional do partido, Aécio Neves, o governador Geraldo Alckmin, o senador José Serra e o ex-presidente FHC: só deu São Paulo | Foto: reprodução / vídeo

Presidente nacional do partido, Aécio Neves, o governador Geraldo Alckmin, o senador José Serra e o ex-presidente FHC: só deu São Paulo | Foto: reprodução / vídeo

O programa do PSDB mostrou que está esquentando suas críticas ao governo da presidente Dilma Rousseff e ao PT. Ao exibir eleitores de Dilma Rousseff dizendo que foram enganados — todos com máscaras da presidente (o que chamou muito a atenção) —, o tucanato provou que, se a petista-chefe “mentiu” durante a campanha, os brasileiros já sabem e desaprovam. Daí a baixa aprovação da presidente nas pesquisas.

Como a imprensa já registrou o “tom acima” do PSDB nas críticas, denotando que está tentando representar o eleitorado — que está profundamente insatisfeito —, enfoca-se aqui outro aspecto. O programa apresentado na segunda-feira, 28, deixa a nítida impressão de que o PSDB não é um partido dos brasileiros, quer dizer, não é nacional. Trata-se de um partido de São Paulo e, mais ou menos, de Minas Gerais.

O PSDB tem governadores e senadores expressivos em vários Estados, mas no programa foram apresentados três políticos de São Paulo — o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; um senador por São Paulo, José Serra, e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (o mais irônico e preciso, o que indica que o PSDB ainda precisa, e muito, de seu ideólogo, um homem de 84 anos), também de São Paulo — e um de Minas Gerais, o senador Aécio Neves.

Marconi e Aécio na campanha de 2014, em Goiás

Aécio Neves certamente entrou no “programa paulista”, não por ser de Minas Gerais, e sim por ter sido candidato a presidente da República, em 2014, exatamente contra Dilma Rousseff.

Os tucanos paulistas certamente argumentarão: outros governadores não apareceram no programa porque dependem muito do governo federal e, por isso, não poderiam criticar de maneira acerba Dilma Rousseff. Tudo bem que o Estado de São Paulo é rico e depende menos do governo federal, mas, ainda assim, depende. Não é, pois, um argumento inteiramente convincente.

Uma coisa é certa: o Centro-Oeste, o Norte, o Nordeste e o Sul não existem para o PSDB. O PSDB é um partido do Sudeste, acentuadamente de São Paulo.

Veja o vídeo:

19 respostas para “Programa contra Dilma e o PT prova que PSDB é um partido de São Paulo, não do Brasil”

  1. Ótimo o programa de TV do PSDB. Mostra com clareza os problemas que as gestões petistas trouxeram ao país. Não cabe a nós pagarmos mais impostos, nem retirar direitos sociais. Cabe ao governo Dilma diminuir os gastos com as contas públicas, cortando ministérios e milhares de cargos de confiança da companheirada.
    O PSDB está unido e organizado. Focado em fazer oposição ao governo Dilma. Já o PT em frangalhos. Os grupos de Dilma e Lula em guerra pelo poder interno do partido. Um tenta salvar o governo, o outro tenta de descolar do desgaste da presidentA, na tentativa de viabilizar a candidatura de Lula para 2018. Acho que nenhum dos dois se salvará.

  2. Caio Maior disse:

    O PSDB é a arcaica política do “café com leite” atrelada a interesses de determinados setores de São Paulo e Minas Gerais. Marconi Perillo é mero coadjuvante com papel secundário. Nesse enredo jamais será protagonista.

  3. joao disse:

    Pra mim a propaganda retratou bem o Brasil, só vi verdades.
    Já a propaganda do PT é mentirosa e debochada

  4. Fábio Coimbra disse:

    O artigo é mesmo oportuno, pois mostra que o PSDB não prioriza os políticos de todo o país, discriminando-os, e privilegiam os de São Paulo. Será que as outras regiões não tinham um senador para criticar o PT? O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, é um crítico ferrenho do governo da presidente Dilma Rousseff. A política do Café com Leite foi mesmo ressuscitada.

  5. Manoel de Oliveira disse:

    Isto é o desespero na nossa região Dilma tem 70 por cento de aprovação. Isto é para enganar analfabeto político

  6. dilmayy disse:

    PSDB ainda na política do Café com Leite da era anterior a Getúlio?
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Pol%C3%ADtica_do_caf%C3%A9_com_leite

  7. Nicola disse:

    Quer jogar essas regiões contra o PSDB usando São Paulo?

  8. José Mariano disse:

    Vamos analizar a quantas andam os estados governados pelo psdb, tudo falido, pela excelente gestão deles, criticar os outros e fácil.

  9. Rogério Ramos disse:

    O selo de bom pagador foi conquistado pelo Brasil no dia 30 de abril de 2008 na era LULA pouco antes da crise internacional. Agora eu pergunto, se não ter o selo de bom pagador é sinal de incompetência o que dizer do governo do PSDB que nunca teve este selo.

  10. Plínio Loy disse:

    A economia no governo fhc era muito boa, é só ver o seu patrimônio , como cresceu, suas propriedades em Paris e sua fazendola em Minas. Eita professor aposentado de grana !

  11. Plínio Loy disse:

    Interessante é ver o aócio com cara de sóbrio, eita maquiagem boa !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.