Euler de França Belém
Euler de França Belém

Morre Murilo Melo Filho, jornalista e membro da Academia Brasileira de Letras

O jornalista cobriu as guerras do Vietnã e do Camboja e se destacou na revista “Manchete”, da família do empresário Adolpho Bloch

Murilo Melo Filho com John Kennedy | Foto: Reprodução

O jornalista e escritor Murilo Melo Filho morreu na quarta-feira, 27, aos 91 anos, vítima de falência múltipla de órgãos. Membro da Academia Brasileira de Letras, será enterrado no mausoléu da instituição cultural.

O presidente da ABL, o poeta, crítico e tradutor Marco Lucchesi, divulgou uma nota: “Foi um dos grandes jornalistas brasileiros da segunda metade do século 20. Acompanhou de perto a política nacional, a construção de Brasília e a Guerra do Vietnã. Conheceu inúmeros chefes de Estado, a quem dedicou páginas antológicas, dos mais variados espectros políticos. Foi também um acadêmico exemplar, assíduo, com a disposição de emprestar seu talento aos mais diversos cargos e serviços na Academia. Guardo a imagem de um homem bom, de uma alta sensibilidade humana, voltada sobretudo para os mais vulneráveis e desprovidos. Um momento de tristeza”.

Murilo Melo Filho nasceu no Rio Grande do Norte, em Natal, e começou a trabalhar aos 12 anos no “Diário de Natal”. Garoto esperto e brilhante, logo foi encaminhado para o Rio de Janeiro. Tinha 18 anos quando começou a trabalhar no “Correio da Noite”. Ele também era formado em Direito.

Murilo Melo Filho, jornalista e escritor | Foto: Reprodução

Jornalista apontado como talentoso e bem informado, Murilo Melo Filho trabalhou na “Tribuna da Imprensa” (o jornal onde pontificou Carlos Lacerda, o demolidor de presidentes), “O Estado de S. Paulo” e na revista “Manchete”, da família Bloch.

Profundo conhecedor dos meandros do poder, ele fez uma série de reportagens sobre suas viagens com os presidentes Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros, João Goulart, Ernesto Geisel e José Sarney. Ele também cobriu as guerras do Vietnã e do Camboja (teria sido o primeiro jornalista patropi a reportar a luta neste país asiático). Murilo Melo Filho ocupava a Cadeia nº 20 da ABL.

Livros de Murilo Melo Filho

+ Cinco dias de junho, com Arnaldo Niskier, Raimundo Magalhães Jr. e Joel Silveira;

+ O assunto é padre, com Adonias Filho, Amando Fontes, Cassiano Ricardo, Gustavo Corção, Hélio Silva, Josué Montello, Octávio de Faria, Rachel de Queiroz e Walmir Ayala;

+ Reportagens que abalaram o Brasil, com Carlos Lacerda, Darwin Brandão, David Nasser, Edmar Morel, Francisco de Assis Barbosa, João Martins, Joel Silveira, Justino Martins, Otto Lara Resende e Samuel Wainer;

+ Augusto dos Anjos: a saga de um poeta, com Gilberto Freyre, Josué Montello, José Lins do Rego, José Américo de Almeida, Antônio Houaiss, Raimundo Magalhães Jr., Eduardo Portella, Ronaldo Cunha Lima e Humberto Nóbrega;

+ O desafio brasileiro;

+ O modelo brasileiro;

+ O progresso brasileiro;

+ Memória viva;

+ O nosso Rio Grande do Norte;

+ Crônica política do Rio de Janeiro, com Barbosa Lima Sobrinho, Villas-Bôas Corrêa, Pedro do Couto, Márcio Alves, Rogério Coelho Neto e Paulo Branco;

+ Testemunho político;

+ Múcio Leão: centenário;

+ Tempo diferente;

+ História do gás: do Rio de Janeiro ao Brasil;

+ O Brasileiro Ruy Barbosa.

Uma resposta para “Morre Murilo Melo Filho, jornalista e membro da Academia Brasileira de Letras”

  1. A gente sempre lamenta a morte de um jornalista do porte de Murilo Melo Filho. Um cara que cobriu a guerra do Vietnã e entrevistou Kennedy. Se hoje é difícil, imagine na sua época. Sem dúvida, vai honrar as páginas do jornalismo brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.