A jornalista e escritora Beatriz Thielmann, da TV Globo, morreu no domingo, 29, aos 63 anos. Ela, que tinha câncer, era uma das repórteres mais experimentadas da televisão brasileira. Deixa dois filhos.

Em 1987, entrevistou Fidel Castro, com grande repercussão. Havia sido a primeira entrevista concedida pelo ditador cubano à Globo. Ele estava no auge de seu carisma, embora o socialismo já estivesse começando a ruir pelo mundo.

Beatriz Thielmann fez reportagens para vários programa jornalísticos da Globo, como “Jornal Nacional”, “Jornal da Globo”, “Bom Dia Brasil”, “Globo Repórter” e Globo News. Era conhecida pela precisão e contenção ao expor os fatos.

O livro “De Mulheres Para Mulheres”, de Beatriz Thielmann e da médica Odilza Vidal, saiu em 2003. A obra mostra os avanços da medicina para as mulheres que têm mais de 40 anos.

A jornalista dirigiu e fez os roteiros dos documentários “O Bicho Dá. O Bicho Toma” (2005) e “Vento Bravo” (2007).