Euler de França Belém
Euler de França Belém

Marcelo Coelho e Sérgio Dávila: quem vai ser o novo diretor de redação da Folha de S. Paulo?

Diretor de redação é uma espécie de estadista, o que fortalece o perfil de Coelho. Se a opção for por um repórter experimentado, o perfil adequado é o de Dávila

Maria Cristina Frias, jornalista especializada em economia, é acionista da Folha da Manhã, que edita a “Folha de S. Paulo”

O editor-executivo Sérgio Dávila, ao comandar o dia a dia da redação da “Folha de S. Paulo”, mantém contato com os demais editores e repórteres especiais. Ex-correspondente internacional, repórter experimentado, foi escolhido para substituir Eleonora Lucena. Com a morte de Otavio Frias Filho, o jovem pode ser guindado ao posto de diretor de redação? Dada sua experiência na chefia do jornal, a resposta é sim.

Marcelo Coelho, jornalista que mantinha forte ligação com Otavio Frias Filho

Teria Otavio Frias Filho deixado uma sugestão? Não se sabe, ao menos a empresa não divulgou. O cargo de diretor de redação exige um profissional que, além de jornalista experiente e competente, seja de absoluta confiança dos proprietários do jornal. É o caso de Sérgio Dávila.

Sérgio Dávila é editor-executivo da “Folha de S. Paulo”; ele opera o dia a dia da redação

Mas, em termos de ligação pessoal, o jornalista da redação — na verdade, um articulista — com ligação mais forte com a família, sobretudo com o diretor de redação recém-falecido, Otavio Frias Filho, talvez seja Marcelo Coelho.

Leão Serva é repórter, editor e colunista experimentado

Marcelo Coelho é um dos mais longevos jornalistas da “Folha de S. Paulo”. Quando Paulo Francis trocou a “Folha” pelo “Estadão”, o jornalista-sociólogo o substituiu. Frise-se que seu perfil reflexivo e moderado, o que não quer dizer acrítico, levou-o para outras searas. Portanto, firmou-se como Marcelo Coelho, e não como o “novo Paulo Francis”.

Conhecedor da “ideologia” da “Folha” — “jornalismo pluralista e apartidário”; independente, talvez seja necessário enfatizar, nenhum jornal é —, como poucos, Marcelo Coelho é, certamente, o diretor de redação ideal e adequado.

Hélio Schwatsman é um jornalista da linha de Marcelo Coelho: mais filosófico

Hélio Schwartsman e Leão Serva são jornalistas igualmente experimentados. Dos quatro citados, Sérgio Dávila e Leão Serva são mais experimentados quando se trata de comando direto da redação. Mas o diretor de redação é, por assim dizer, o estadista da empresa, o conciliador, o filósofo ou pessoa de ideias, o formulador. Neste perfil Marcelo Coelho e Hélio Schwartsman cabem à perfeição.

Resta saber se os Frias não vão optar por alguém da família, como Maria Cristiana Frias, editora da Coluna “Mercado Aberto”. Maria Cristina, jornalista especializada em economia, é irmã de Otavio Frias Filho e de Luiz Frias, o presidente da Folha da Manhã, empresa que dirige a “Folha de S Paulo” e o Universo Online (UOL).

Há a possibilidade de não se ter mais um diretor de redação?  Nada se comenta a respeito na redação, ainda sob o impacto da morte de Otavio Frias Filho, que só tinha 61 anos.

Deixe um comentário