Euler de França Belém
Euler de França Belém

Livro de Nick Davies desnuda jornalismo baixo clero do News of the World

46127451

Vale Tudo da Notícia mostra, sem meias palavras, que parte da imprensa da desenvolvida Inglaterra é mais suja do que o lixo que recolhe

“Vale Tudo da Notícia” (Intrínseca, 480 páginas, tradução de Marcelo Levy), de Nick Davies, conta, de maneira detalhada, o escândalo do extinto jornal britânico “News of the World”, de Rupert Murdoch. O jornal, por meio de editores e repórteres — a prática era aprovada pelo proprietário —, comprava informações obtidas ilegalmente de detetives particulares, que faziam grampos telefônicos e seguiam pessoas. Os repórteres invadiam caixas de mensagens de celulares de pessoas proeminentes da Inglaterra. Com as informações, publicavam reportagem e, por vezes, chantageavam empresários, políticos e artistas. Davies conta as histórias centrais, mostrando que o jornalismo baixo clero era deliberado, e histórias menores. James Murdoch pressionava políticos e buscava obter vantagens comerciais sem nenhum pudor.

Conhecido como “homem do lixo”, Benji percorre as ruas de Londres, na madrugada, vasculhando sacos de lixo em busca de informações para vendê-las aos tabloides (que, na Inglaterra, é sinônimo de sensacionalismo). O repórter Sean Hoare tomava drogas com celebridades.

O livro de Davies mostra como o jornalismo — aquilo, argh!, que é vendido como jornalismo — do chamado Primeiro Mundo pode ser sujo. Tidos como os leitores mais qualificados do mundo, ao lado dos franceses, os ingleses adoram qualidade (a leitura de um escritor excepcional como Ian McEwan, por exemplo), mas apreciam, por intermédio dos tabloides, chafurdar no lixo mais abjeto dos seres humanos. Aliás, muito não é lixo, se não for publicado. É apenas vida íntima, que é mais complexa, rica e diversificada do que imagina a nossa vã filosofia.

Quando o “The Guardian” publicou as denúncias, provocando um debate extraordinário na sociedade inglesa, o ‘News of the World”, desmoralizado, fechou as portas. Um trecho do livro pode ser lido no site da Editora Intrínseca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.