Euler de França Belém
Euler de França Belém

Jair Bolsonaro pode nomear o filósofo Olavo de Carvalho pra embaixador nos Estados Unidos?

O autor do livro “O Imbecil Coletivo” afirma que, se convidado pelo presidente eleito, não recusará o cargo

Olavo de Carvalho: guru do presidente eleito Jair Bolsonaro

Olavo de Carvalho é uma espécie de guru intelectual do presidente eleito Jair Bolsonaro. “O Imbecil Coletivo — Atualidades Inculturais Brasileiras” e, sobretudo, “O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota” são os livros de cabeceira do capitão reformado do Exército e deputado federal.  O filósofo é um dos mais corrosivos intelectuais da direita brasileira. Para alguns, é o Bolsonaro da filosofia. Os intelectuais da esquerda não o respeitam, por não pertencer à academia universitária e, principalmente, por ser de direita. Porém, sugerir que é inconsistente sem examinar sua obra com atenção não é nada produtivo. É preciso estudá-la com rigor, para além de suas polêmicas — e sim, há uma obra que supera o mero ensaísmo e os micros textos de combate ideológico à esquerda —, para poder refutá-la. O que se faz comumente é rejeitá-lo, como um filósofo supostamente “sem obra” e meramente polemista.

Num vídeo divulgado no Youtube, no seu canal, Olavo de Carvalho frisa que, se convidado por Jair Bolsonaro, aceita ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos. “É uma responsabilidade que sei cumprir e oferece a oportunidade de fazer algo real pelo Brasil, sem ter que passar pelo filtro da resistência petista”, disse o filósofo.

Olavo de Carvalho e Jair Bolsonaro

“O embaixador no outro país tem autoridade total sobre seus conterrâneos ali. Pode mandar embora qualquer um, pode mandar prender qualquer um. Ele é um reizinho. Ele não tem que dar satisfação para a ‘petezada’”, frisa Olavo de Carvalho. “O embaixador tem que falar com o presidente aqui, e a ‘petezada’ não tem nada a ver com isso. Então é um cargo onde dá para fazer alguma coisa.” O filósofo afirma que ajudaria a conquistar dinheiro para o Brasil. O ás da polêmica enfatiza que, ao sugerir que aceita ser embaixador, não está pedindo o cargo ou se oferecendo para ocupá-lo.

Olavo de Carvalho estaria falando em tom de brincadeira? É provável. Porque a função de um embaixador não é exatamente a que disse. O embaixador tem de ser representante de seu país, não de grupos ideológicos, nem deve combatê-los, porque não é sua função. O embaixador, como diplomata, representa todos os brasileiros — inclusive a “petezada” que tanto desgosta o filósofo.

A embaixada do Brasil nos Estados Unidos é uma das mais importantes (ao lado das embaixadas na França, na Alemanha, na Inglaterra, na Rússia e, mais recentemente, na China). Ele estaria qualificado para o cargo? Sim, sobretudo se contar com uma assessoria eficiente — e a equipe do Itamaraty é altamente qualificada. O Brasil já teve embaixadores desqualificados? Talvez “desqualificados” seja uma palavra forte, mas de fato já houve embaixadores que não estavam talhados para o cargo. Olavo de Carvalho ao menos sabe como funciona o capitalismo moderno, tanto por tê-lo estudado com atenção, até para refutar Marx e os marxistas derivados, quanto por viver no principal país capitalista do mundo — os EUA.

Veja o vídeo de Jair Bolsonaro

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.