Euler de França Belém
Euler de França Belém

Iúri Rincon lança crônica deliciosa sobre o comício das Diretas Já em Goiânia

Com leveza ímpar, sem perder o rigor, o jornalista escreve um livro que é útil tanto para leitores comuns quanto para pesquisadores

As Diretas Já são um assunto inesgotável, assim como a Abertura iniciada pelo presidente Ernesto Geisel e, digamos, concluída pelo presidente João Figueiredo. Mas faltava um livro nas estantes e mesas de leitura: uma crônica das Diretas Já em Goiânia. Não falta mais. O jornalista e escritor Iúri Rincon Godinho lança na terça-feira, às 20 horas, na Hyundai Caoa (Avenida Mutirão com T-7), “Diretas Já em Goiânia — Brigas, Prisões e Esperança na Maior Festa Cívica Goiana”.

Iúri Rincon Godinho: jornalista que pesquisa como historiador e escreve como escritor

Com um texto leve, telegráfico e preciso, Iúri Rincon faz da história das Diretas Já uma crônica deliciosa — no sentido de que transforma os fatos numa coisa viva, como se estivessem acontecendo hoje. O leitor pega o livro, começa a ler uma, duas, três páginas e… não quer parar mais. Uma informação puxa a outra e, logo, a leitura é concluída.

A pesquisa de Iúri Rincon começa pelo comício preparatório, o de 1983, e chega ao comício-gigante, o de 1984, com a presença de figuras celebradas da luta pela redemocratização, como Tancredo Neves e Ulysses Guimarães (os democratas que seguraram a barra, enquanto a esquerda guerrilheira contribuía, de maneira direta, para o endurecimento do regime, como se fosse um parceiro, ainda que rival, dos militares da linha dura).

O livro, que contém várias revelações, é tão interessante que o leitor, ao concluir a leitura, fica quase pedindo um segundo volume, quiçá sobre os indivíduos que trabalham pela redemocratização, como Henrique Santillo, Adhemar Santillo, Juarez Bernardes, Fernando Cunha e, entre outros, João Divino Dornelles. Iris Rezende, cassado, era uma figura praticamente ausente, apesar das ideias mitológicas que jornalistas inventam, da batalha diária pela redemocratização. Mas, dado o mito de que teve sua carreira amputada quando se tornaria governador em 1970, foi o principal beneficiário da retomada da democracia. Os que de fato lutaram deram-lhe o governo de Goiás de presente em 1982.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.