Euler de França Belém
Euler de França Belém

Diário da Manhã diz que Plano Cruzado é do governo Itamar Franco. É do governo Sarney

O jornal esquece que o Plano Real é que foi de fato criado no governo de Itamar Franco, com o apoio da equipe de Fernando Henrique Cardoso

Fernando Henrique Cardoso e Itamar Franco itamar-franco-fhc-fernando-henrique-1995-02-size-598

O Plano Cruzado, do governo do presidente José Sarney, fez muito sucesso, porém, como não foi revisto a tempo, acabou levando o país a uma imensa crise. Ele foi formulado pelos luminares João Sayad, Pérsio Arida e André Lara Resende, com a participação de outros economistas menos conhecidos. O ministro da Fazenda era Dilson Funaro.

Na sexta-feira, 10, na página 13, o experimentado Helton Lenine escreve, na reportagem “Cotada para o Ministério do Planejamento” (sobre Ana Carla Abrão Costa, secretária da Fazenda do governo de Goiás): “Ela namora o também economista Pérsio Arida, um dos pais do Plano Cruzado, concebido no governo Itamar Franco e que garantiu a eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República”.

De fato, Pérsio Arida é um dos autores do Plano Cruzado. Mas este plano era, como dito no primeiro parágrafo, do governo Sarney. É de 1986. O governo de Itamar Franco (assumiu em 1992) formulou o Plano Real, com o apoio de Fernando Henrique Cardoso e de sua equipe. O Plano Real contribuiu para a recuperação (e estabilidade) da economia e, portanto, para a eleição e reeleição do sociólogo Fernando Henrique.

Já o Plano Cruzado enterrou o governo Sarney e colaborou para a vitória de Fernando Collor para a Presidência da República, em 1989.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.