Euler de França Belém
Euler de França Belém

Bruno Vieira Amaral lança biografia “monumental” do escritor José Cardoso Pires

“É muito mais do que uma biografia. Reconstitui um percurso de exceção, lê com acutilância a sua produção literária e põe em foco a época que moldou o escritor”

Integrado Marginal — Biografia de José Cardoso Pires” (Contraponto Editores, 600 páginas), de Bruno Vieira Amaral, lançada este mês, está causando furor em Portugal. Ainda não li, mas integra, desde já, minha lista penelopiana de leitura. A impressão que se tem é que se trata do livro que todos esperavam sobre o autor do romance “O Delfim” (que o biógrafo, numa entrevista, considera a principal obra do escritor).

Na falta do livro, para ser examinado, publico o release da editora:

“Notívago, boémio, brigão. Receoso de que a imagem pública lhe ensombrasse os méritos literários. Crítico do marialvismo. Acusado de ser marialva [nota da redação: sedutor; conquistador de mulheres; dom-juan]. Bem relacionado. Obcecado com a própria independência. O maior escritor da segunda metade do século 20. Um escritor datado e sem a mesma projeção internacional de um Lobo Antunes ou de um Saramago. Um espírito insubmisso. Um casamento duradouro. A convicção e a crença no próprio trabalho. Momentos de dúvida e angústia. Neste livro, vive um homem cuja personalidade foi formada no antagonismo. E um espírito que, apesar de amarrado a diversos ódios (ao campo, ao regime, à pequena burguesia da qual era originário, à literatura sentimental e demagógica, à polícia, à Igreja), nunca desistiu de Portugal e de ser escritor.

José Cardoso Pires, escritor português |Foto: José Antonio Rodrigues

“Da influência inicial da literatura anglo-saxónica, passando pela necessidade de encontrar uma “sintaxe citadina”, ou pela importância de incorporar a experiência na criação literária sem cair no sentimentalismo ou no confessionalismo, até ao salazarismo enquanto quadro de mentalidades contra o qual toda a obra de Cardoso Pires se desenvolve, esta biografia dá a conhecer o processo de construção de um escritor.

“Pela mão do destacado escritor Bruno Vieira Amaral, o leitor conhece a exigência obsessiva e quase doentia, a lentidão no processo de escrita e publicação e como isso entrava em contradição com a aspiração ao profissionalismo e com a insistência na dignificação do ofício de escritor que toda a vida José Cardoso Pires, o integrado marginal, defendeu.”

Bruno Vieira Amaral: escritor e biógrafo português | Foto: Reprodução

José Cardoso Pires nasceu em 1925 e morreu em 1998, aos 73 anos.

Críticas na imprensa portuguesa
1

“Monumental biografia. Uma obra-prima. A partir deste livro, as biografias terão um novo padrão.”

Francisco José Viegas, Correio da Manhã

2

“Muito bem documentada, organizada e escrita, uma excelente biografia de grande escritor e figura singular. A ler, obrigatoriamente.”

José Carlos de Vasconcelos, Jornal de Letras

3

“Integrado Marginal é muito mais do que uma biografia. Reconstitui um percurso de exceção, lê com acutilância a sua produção literária e põe em foco a época que, para o bem e para o mal, moldou o escritor.”

Luís Ricardo Duarte, Jornal de Letras

4

“Bruno Vieira Amaral assina uma biografia brilhante capaz delinear a vida e a obra, os triunfos e as contradições de José Cardoso Pires, um dos maiores escritores portugueses do século XX.»

José Mário Silva, Expresso

5

“O escritor excelentíssimo, antiditadura e antiburguês, baixinho, boémio e brigão, mestre de oficina obsessiva e insegurança crónica, ressuscita na biografia ‘Integrado Marginal’.”

Sílvia Souto Cunha, Visão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.