Euler de França Belém
Euler de França Belém

Assessor de Joesley Batista diz que jornalista extorquia JBS. Não apresenta provas. Veja o vídeo

Cláudio Humberto ainda não se defendeu, mas Ricardo Saud disse que não havia contrato entre a JBS e o jornalista

 

O diretor de Relações Institucionais e Governo da J&F, Ricardo Saud, disse a procuradores do Ministério Público Federal — na delação premiada, gravada —, que o grupo era extorquido pelo jornalista Cláudio Humberto. Ele teria exigido um mensalinho para não divulgar notas contra o grupo dirigido por Joesley Batista, cuja face mais visível é a JBS-Friboi.

Na gravação, Ricardo Saud demonstra irritação com o jornalista — que, até agora, não se pronunciou — mas, o que é temerário, não apresenta nenhuma prova contra o ex-porta-voz de Fernando Collor, quando este era presidente.

A denúncia pode ser uma vingança contra um jornalista crítico e decente? Pode ser. É preciso aguardar informações objetivas, quer dizer, provas. Por que nem a Procuradoria da República nem a Justiça podem ser usadas para vinganças pessoais ou empresariais. Tudo indica que Joesley Batista e auxiliares estão num processo de vingança, e não apenas numa missão de esclarecimento.

Veja o vídeo no qual Ricardo Saud fala de Cláudio Humberto 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.