Euler de França Belém
Euler de França Belém

10 livros mais vendidos no Brasil no primeiro semestre de 2016

Pesquisa da Nielsen, divulgada no sábado, 13, pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, na coluna Babel, “mostra que foram 6 meses difíceis para o mercado editorial, que perdeu 15% de seu faturamento”. Qualidade, literária e em temos de pesquisa rigorosa, não é o forte da lista

Marcelo Rossi capa de livro 2345 400451001 — Ruah — Padre Marcelo Rossi. O padre da Igreja Católica já é um dos autores que mais vendem livros na história do Brasil. Na lista dos dez mais lidos de 2016, aparece também em quarto lugar, com “Philia”. É um fenômeno editorial e comercial. Não é, claro, um fenômeno cultural e ele nem parece se preocupar com isto (suas histórias e ensinamentos são simples e a linguagem, embora correta e precisa, não tem qualquer rebuscamento). Seus leitores são fiéis e, tudo indica, migram de um livro para o outro, nunca esmorecendo com suas várias publicações. Tudo que publica vira ouro em pouco tempo. Ele vende bem em todo o país, é, portanto, um fenômeno nacional, e possivelmente não apenas devido aos leitores que se consideram católicos. Tornou, em termos de livros, ecumênico.

Capa_ComoEuEraAntesDeVoce_FILME.indd2 — Como Eu Era Antes de Você — Jojo Moyes. A escritora inglesa, nascida em 1969, é outro fenômeno, em termos de vendas. Nesta lista, aparece duas vezes, em segundo e terceiro lugar. Ela trabalhou no jornal “The Independent”, um dos mais importantes da Inglaterra, mas hoje dedica-se exclusivamente à literatura. O cinema potencializou, ainda mais, a vendagem do livro. Trata-se de um sucesso mundial.

3 — Depois de Você — Jojo Moyes

4 — Philia — Padre Marcelo Rossi

5 — Authenticgames: Vivendo Uma Vida Autêntica

6 — O Pequeno Príncipe — Saint-Exupéry

7 — Cinquenta Tons de Cinza Pelos Olhos de Christian Gray — E. L. James

8 — Dois Mundos, Um Herói — Uma Aventura Não Oficial de Minecraft — RezendeEvil (Pedro Afonso)

9 — Muito Mais Que Cinco Minutos — Kéfera Buchmann

10 — Segredos da Bel Para Meninas — Bel e Fran

Deixe um comentário