Livraria Gato Sem Rabo vende livros escritos apenas por mulheres

Com um acervo de 1.700 títulos de 650 escritoras, a livraria fica em São Paulo

Cláudia Silva

Especial para o Jornal Opção

Johanna Stein: proprietária da Livraria Gato Sem Rabo | Foto: Reprodução

“Um Quarto Só Seu” (há várias traduções no Brasil), de Virginia Woolf, explica, de maneira precisa, por que as mulheres publicaram “poucos” livros durante certo período da história. Entre outras coisas, elas não tinham um espaço só delas para pensar e expor suas ideias. Frequentemente, ficavam escanteadas em suas casas, pois a prioridade eram os homens. Mesmo assim, mulheres notáveis, como Jane Austen, George Sand (Amandine Aurore Lucile Dupin), George Eliot (Mary Ann Evans), Emily Brontë, Charlotte Brontë, Mary Shelley, Emily Dickinson, entre outras, como a própria Virginia Woolf, escreveram obras notáveis (algumas delas com nomes masculinos). O que prova que há uma resistência intelectual por parte das mulheres.

Nas livrarias, livros de homens ganham muito mais destaque. Claro que a produção masculina é (ou era) maior. Por isso, a empresária Johanna Stein decidiu abrir uma livraria só com livros escritos por mulheres. A Gato Sem Rabo — a origem do nome da livraria é o livro “Um Quarto Só Seu”, da escritora inglesa citada acima (que se suicidou em 1941, após deixar obras brilhantes”, como “Orlando” e “As Ondas” — fica na Rua Amaral Gurgel, nº 338, em frente ao Minhocão, em São Paulo. A livraria, que conta com 65m² e tem 1.700 títulos de 650 escritoras, nasce como uma referência.

Numa entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, na quinta-feira, 27, Johanna Stein, de 30 anos, afirma que “a Gato Sem Rabo nasce de uma curadoria e do momento que existe e é liderado pelos leitores — há uma demanda crescente de leitura de obras de mulheres e de outras perspectivas. Acredito que estamos muito mais próximos de um movimento pela leitura do que de um modelo de negócio de livraria”. Ex-modelo, Johanna Stein é formada em Artes Visuais.

Antes mesmo de abrir as portas, a livraria ganhou 9 mil seguidores no Instagram. A Gato Sem Rabo começou a vender também por WhatsApp, As primeiras vendas fora de “Eisejuaz” (Relicário), de Sara Gallardo, e “Ética do Amor Livre: Guia Prático Para Poliamor, Relacionamentos Abertos e Outras Liberdades” (Elefante), de Janet W. Hardy e Dossie Easton.

Digamos que queira adquirir “Um Defeito de Cor” (notável romance de Ana Maria Gonçalves), “Caderno de Memórias Coloniais” (o magnífico livro de Isabela Figueiredo), “Passeio ao Farol” (de Virginia Woolf), a poesia de Emily Dickinson (maior poeta dos Estados Unidos, dita a Shakespeare dos Steites), “A Instrumentalina” (de Lídia Jorge) e “Vale Abraão” (romance espetacular de Agustina Bessa-Luís), “A Visão das Plantas” (da ótima Djaimilia Pereira de Almeida) e “A Mãe da Mãe da Sua Mãe e Suas Filhas” (excelente romance de Maria José Silveira). Sabe onde será mais fácil encontrar? Claro, na Gato Sem Rabo.

A livraria será inaugurada no sábado, 29.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.