Após alagamentos e consequentes estragos na cidade de Anápolis, em função das fortes chuvas do último domingo, 12, a Prefeitura Municipal decretou estado de emergência para reestruturação de áreas críticas e de alagamento. O objetivo, segundo o prefeito, Roberto Naves (Progressistas), é solucionar os problemas causados por temporais na região.

“Vamos decretar estado de emergência para que a gente possa resolver o quanto antes esses problemas. Temos uma equipe da Secretaria de Meio Ambiente e da Secretaria de Serviços Urbanos definindo as áreas críticas, para que a gente possa elaborar um decreto para suspender alvarás de construção temporariamente, para que possam ser reavaliados. Da mesma forma, nas áreas de alagamento, a procuradoria vai entrar com processos de desapropriação para que a Prefeitura possa adquirir essas áreas e construir os bolsões”, explicou, em entrevista coletiva à imprensa.

Roberto Naves destacou tratar-se da chuva mais intensa dos últimos anos, onde o registro foi de 47,8mm em apenas duas horas, e evidenciou as ações humanas como principais responsáveis pelo ocorrido. “Precisamos entender que isso o que está acontecendo na cidade é fruto da ação do homem, que não respeita o meio ambiente”, frisou. “A partir do momento que a gente entender que não adianta desafiar o meio ambiente e que a força da natureza é implacável, nós vamos evitar problemas como este que está acontecendo na cidade de Anápolis”, acrescentou.

O gestor afirmou que o decreto deverá permanecer o tempo necessário para a realização das obras, que, segundo ele, levam em torno de 45 a 60 dias de duração, cada. Com relação ao trânsito da cidade, Naves alegou que uma nova rota está sendo preparada pela Companhia Municipal de Trânsito, Transportes e Serviços Urbanos (CMTT). O prefeito afirmou, ainda, que a Saneago já foi acionada para ligação das adutoras de água.