Vice-presidente do MDB aposta que o partido terá candidato a governador em 2022

Paulo Cezar Martins admite que aliança poderá ter ao apoio de Sandro Mabel e Marconi Perillo

Para Paulo, parlamentar contra revogação dos incentivos fiscais à Enel será mal visto

Paulo Cezar Martins: “O MDB não tem o hábito de ficar no banco de reservas” | Foto: Alego

Perguntado se há uma crise entre o presidente do MDB, Daniel Vilela, e o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, o vice-presidente do MDB em Goiás, Paulo Cezar Martins, disse que não tem informação a respeito. “Na verdade, o que sei é que são aliados e amigos. Sendo assim, é natural que caminhem juntos em 2022.”

Gustavo Mendanha pretende mesmo disputar o governo do Estado? “O MDB é um partido que sempre teve nomes fortes para o governo, como Iris Rezende e Maguito Vilela. Neste momento, nós temos os nomes de Daniel Vilela e Gustavo. O que posso dizer é que Gustavo tem andado pelo Estado e sua aceitação é boa entre os militantes e líderes. O que ouço, nas minhas aos municípios, é que o MDB tem time para jogar e disputar a finalíssima. O nosso time não tem o hábito de ficar no banco de reservas.”

Mas Mendanha tem disposição para disputar o “campeonato”, enfrentando um campeoníssimo, o governador Ronaldo Caiado, do partido Democratas? “Noto que Gustavo tem vontade e disposição. Apoio-o porque considero que o MDB deve ter candidato, como sempre teve, desde 1982, com a retomada das eleições para governador. Tendo candidato a governador, a tendência é que o partido também tenha uma chapa forte para deputado federal e estadual. Nós já chegamos a ter 11 dos 17 deputados estaduais e três senadores. Chegamos a ter 17 deputados estaduais”, sublinha Paulo Cezar.

Daniel Vilela apoia Mendanha para governador? “Não tenho falado com Daniel, mas acredito que, como emedebista, vai apoiar Gustavo. O MDB está motivando com Gustavo”.

O presidente do MDB vai disputar mandato de governador ou deputado? “Não sei o que Daniel vai disputar. Já ouvi que Daniel vai ser o que os companheiros definirem.”

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, faz parte do projeto de Mendanha? “Acredito que Mabel vai disputar mandato de deputado federal pelo MDB.”

O ex-governador Marconi Perillo fará parte da coligação de Mendanha-MDB? “Não sei. Mas Gustavo pode juntar toda a oposição em torno de sua candidatura a governador. O pessoal do partido, em Goiânia e no interior, tem dito: ‘Vamos trabalhar para o menino de Aparecida’”.

Inquirido sobre a disputa pela presidência do Diretório Estadual do MDB, Paulo Cezar afirma que a disputa ficou para março de 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.