A secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão Costa, tem jogado duro no corte de despesas do governo de Goiás. A economista quer um Estado cada vez mais enxuto e propõe economia de café e, até, de guardanapo. “Ela não titubeia nem tem medo de cara feia”, afirma um secretário. Em recente reunião, jogou pesado, frisando que o Estado precisa se viabilizar, para fazer investimentos, e que, para tanto, é preciso fazer cortes”. A jovem fala o que é preciso, não o que agrada.