O senador não tem simpatia pelo peemedebismo, visto como fisiologista, mas está de olho na sua estrutura no interior

Fotos: Agências Câmara e Senado

O senador Ronaldo Caiado (DEM) trata o PMDB como se fosse um partido duplo e dúbio. Em Brasília, ataca o presidente da República, Michel Temer, e pede seu afastamento de maneira contundente. Lá, pelo visto, o PMDB não serve. Porém, em Goiás, desde que o apoie, o peemedebismo lhe será útil. Porém, como justificar o fato de que quer Daniel Vilela (PMDB) para vice, mas rejeita o chefão nacional do partido, Michel Temer? Não há como, por certo.