Com a garantia do PSDB de que metade das candidaturas à Câmara Municipal de Goiânia será feminina, o desafio da presidente da sigla na capital, vereadora Aava Santiago, agora é viabilizar o financiamento das campanhas dessas mulheres – incluindo a dela, uma vez que sua vontade primeira é disputar novamente uma cadeira na Câmara -, para que sejam candidatas verdadeiramente competitivas.

“Não vamos depender apenas do fundo eleitoral. Esse é um diferencial que nenhum outro partido vai ter”, revelou a vereadora. E ela já está “mexendo os pauzinhos” para tornar o sonho de ampliar a participação feminina no parlamento da capital realidade.

Nos próximos dias, Aava embarca rumo à São Paulo, onde já teria dois encontros agendados com “figurões” do cenário nacional capazes de garantir os recursos necessários para a campanha eleitoral das tucanas em Goiânia.

Uma dessas possíveis financiadoras pode ser a herdeira e acionista do Itaú, Neca Setúbal, que deve receber a vereadora por Goiânia. Formada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Ciência Política e doutora em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), a bilionária se interessa tanto pela política quanto por temas sociais. Por isso, assunto entre as duas não deve faltar.

Na política, em 2014, Neca apoiou a candidatura de Marina Silva à presidência e foi a responsável por coordenar o plano de governo da então candidata. Na época, aproximou a campanha marinista de potenciais financiadores.

No entanto, todo o holofote fez que com que a herdeira não integrasse o time de Marina em 2018 e chegou a se dizer “apartidária” em uma declaração dada à época ao jornal Folha de São Paulo. Nesse mesmo período, a imprensa noticiou que sua fortuna era estimada em R$ 1 bi.

Outras fontes

A herdeira do banco Itaú não é a única carta na manga de Aava para garantir o recurso necessário para financiar as campanhas das mulheres tucanas em Goiânia. Quem também deve se encontrar com a vereadora é o ex-assessor especial do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e ex-secretário nacional de Justiça no governo de Dilma Rousseff, Pedro Abramovay.

Atualmente, Abramovay é vice-presidente global de programas da Open Society Foundation, uma gigante da filantropia mundial que foi fundada pelo investidor George Soros e que atua em causas que apoiam a justiça social, a democracia e os direitos humanos em 120 países ao redor do mundo. Quem sabe não venha daí o financiamento que pode garantir a presença de mais mulheres na política goianiense? (E.L.J.)