Há quem aposte que base governista, se bancar dois candidatos, pode ser derrotada pelo prefeito do PSD

Edivaldo da Cosmed: pré-candidato a prefeito de Inhumas pelo PSL | Foto: Reprodução

O prefeito de Inhumas, João Antônio Ferreira, do PSD, é apontado como favorito para a disputar da eleição de 15 de novembro deste ano. Além de popular, conta com o apoio do ex-deputado Roberto Balestra e do ex-prefeito Abelardo Vaz.

Mas a oposição está azeitada e com nomes considerados consistentes. Entre os mais fortes estão os empresários Edivaldo da Cosmed, do PSL, e Rogério Essado, do DEM.

João Antônio Ferreira: prefeito de Inhumas | Foto: Reprodução

Na sexta-feira, 14, um dos grupos definiu dois pré-candidatos a prefeito, afunilando o processo: Edivaldo da Cosmed e o vereador Amélio Jacomo, do Cidadania. A tendência é que, adiante, o candidato a prefeito seja Edivaldo da Cosmed, com Amélio Jacomo na vice. São políticos apontados como “consistentes” e “modernos”. O grupo conta com o apoio do deputado federal Delegado Waldir Soares e do deputado estadual Humberto Teófilo, ambos do PSL, e do empresário Wilder Morais, pré-candidato a prefeito de Goiânia pelo PSC. O PSC pode apoiar o candidato do grupo, mas ainda não se definiu.

O terceiro grupo tem dois pré-candidatos: professor Charles (vereador com dois mandatos) e Rogério Essado, filho do ex-deputado José Essado. Ambos pertencem ao Democratas. A aliança inclui o DEM e o Podemos, mas há conversações com outros partidos. O ex-prefeito Dioji Ikeda acredita que a polarização deveria ser entre os que apoiam o governo de Ronaldo Caiado e o grupo que apoia o ex-governador Marconi Perillo, Roberto Balestra e Abelardo Vaz.

Há quem acredite que se a base governista lançar dois candidatos, como Edivaldo da Cosmed e Rogério Essado, pode contribuir, direta ou indiretamente, para a reeleição de João Antônio.