“Preços praticados antes dos aumentos estavam quebrando os caixas”, diz vereador Welington Peixoto

De família do ramo de postos de abastecimento, ele afirma que dois pontos antes alugados estão sendo devolvidos por conta de dificuldades financeiras

welignton borges dO retorno dos trabalhos na Câmara Municipal de Goiânia foi marcado por debates que, inevitavelmente, abordaram o aumento no preço dos combustíveis na capital, considerado abusivo pela Justiça recentemente. Abordado pelo Jornal Opção Online, o vereador Welington Peixoto (Pros) fez uma avaliação do momento.

De família ligada ao ramo de postos de abastecimentos, ele diz que os preços praticados pelos estabelecimentos anterior a elevação estavam “quebrando os caixas”.

“Se a gente nivela o preço para baixo estamos fazendo cartel. Se for para cima, estamos abusando. Dos nossos cinco postos, quatro estavam alugados. Agora, dois estão tendo os pontos devolvidos por conta da dificuldade financeira”, afirma. Um deles é o da Rua 74 com a Avenida Independência, no Centro, nas proximidades da Câmara. O outro fica no Setor Vila São José, na Avenida Padre Wendel.

De acordo com o vereador, o investimento para abrir um posto de combustível na cidade pode variar entre R$ 2 e R$ 3,5 milhões. “Vendemos 100 mil litros de combustível ao mês e a despesa é de R$ 30 mil, com lucro de R$ 0,30 por litro abastecido”, detalhou.

Welington é irmão do ex-vereador por Goiânia e deputado estadual do PMDB irista Bruno Peixoto — que atua junto ao Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Goiás (Sindiposto). O pai deles, Tião Peixoto (PMDB), é presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul) na gestão de Paulo Garcia (PT).

Nem o secretário e nenhum dos irmãos tem cargos no sindicato.

Leia mais:
Procon confirma prática abusiva de postos e pedirá redução no preço do combustível
“Colocar culpa só no posto é injusto”, diz José Neto, do Sindiposto
ANP realiza força-tarefa de fiscalização de postos de combustível em Goiânia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.