Interlocutores dizem que o vice-governador não titubeia. Briga com Marconi? Nem pensar

Vice-governador | Foto: Eurípedes Júnior

Quem apostar numa briga entre o governador de Goiás, Marconi Perillo, e o vice-governador José Eliton, ambos do PSDB, vai dar com os burros n’água. Eles estão cada mais objetivos e sabem que o fundamental é ter uma chapa competitiva para tentar derrotar as oposições no pleito de outubro, daqui a meros oito meses.

Na verdade, embora tenha feito sugestões pontuais — inclusive a título de orientação, dada sua experiência (influencia muito, pelo conjunto da obra) —, Marconi Perillo deixou o terreno livre para José Eliton organizar seu secretariado. Aqui e ali, o tucano-chefe gostaria que fosse mantido um ou outro nome no mesmo cargo. Mas, como sabe que o governante será outro, que tem estilo diferente — é mais incisivo e tem pressa —, não perde tempo com discussões menores. Na prática, o vice-governador está mexendo nas “peças” exatamente como quer, adaptando-as ao seu modo de agir.

Os interlocutores de José Eliton estão satisfeitos com seu comportamento a um só tempo franco e direto. “Ele não titubeia”, afirmam.

José Eliton, na opinião de políticos e técnicos, não quer apenas montar uma equipe que o ajude a ganhar a eleição. Ele quer, sobretudo, fazer um bom governo. Porque isto vai credenciá-lo ainda mais para a disputa.