Político diz que só acredita em rompimento do PSB se Lúcia Vânia entregar a presidência da Agehab

Tucanos dizem que a presidente do PSB está tencionando para tentar ser candidata à reeleição

Lúcia Vânia: disputa para o cargo de senador está congestionada

Há um consenso no governo de Marconi Perillo de que a senadora Lúcia Vânia está tencionando, ao liderar protesto dos deputados estaduais de sua base — menos Marlúcio Pereira, que não concorda com as críticas —, para se firmar como candidata à reeleição. O problema é que a base está congestionada, com vários postulantes à candidatura de senador. A lista inclui, além do próprio Marconi Perillo e a presidente do PSB, os deputados federais Jovair Arantes, do PTB, João Campos, do PRB, e Magda Mofatto, do PR, o senador Wilder Morais, do PP, e o ex-deputado federal Vilmar Rocha, do PSD.

O governador Marconi Perillo passa ao largo da polêmica, especialmente porque respeita Lúcia Vânia como uma aliada histórica e uma política de valor, das mais qualitativas. No entanto, tucanos sublinham que chegou a hora de o tucano-chefe parar de “carregá-la” e, ao mesmo tempo, de “renovar” sua base política. Eles sugerem que a socialista dispute mandato de deputada federal e abra espaço para nomes novos, capazes de revitalizar a base governista.

Um militante do PP enfatiza que, a despeito de pressionar, Lúcia Vânia não vai romper com o governo de Marconi Perillo. “Só acredito em rompimento se a senadora entregar, imediatamente, a presidência da Agência de Habitação, controlada por seu aliado Luiz Stival. O problema do PSB de Lúcia Vânia é que quer ter vida de solteiro, mas permanecendo casado. Se entregar a Agehab, portanto, o público vai entender que, pela primeira vez, a presidente do partido estará, de fato, se desgarrando do governo”, afirma o pepista.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.