Pesquisadores e marqueteiros dizem que ainda não se pode dizer que Caiado ganha no 1º turno

Marqueteiro sublinha que nas campanhas políticas de Goiás — “em todas” — os números “só mexem depois de 15 dias de televisão

O Jornal Opção ouviu marqueteiros e pesquisadores e sugeriu que avaliassem se a disputa eleitoral em Goiás já está decidida. Todos foram unânimes: não está.

Os especialistas dizem que o Brasil está “quieto” e que os eleitores estão observando, comparando e só vão decidir mais próximo das eleições.

Um dos marqueteiros aponta que Ronaldo Caiado, candidato do DEM a governador, “aparece com pouco mais de 20% na pesquisa espontânea e os outros, somados, têm 30%”. Por que, na pesquisa estimulada, aparece com mais de 40%. “Aí é o busílis da questão: Caiado é mais conhecido do que os demais candidatos e está fazendo um discurso duro contra os desmandos no setor público há vários anos.” Mas e daí? “Daí que se deve examinar dois aspectos. Caiado pode ganhar no primeiro turno, considerando o levantamento estimulado. Mas a possibilidade de segundo turno é grande, considerando que tanto José Eliton, do PSDB, quando Daniel Vilela, do MDB, e Kátia Maria, do PT, estão se tornando mais conhecidos. A tendência é que cresçam e, se isto acontecer, Goiás terá segundo turno. Frise-se que o segundo turno, com outras composições, é outra eleição.”

As críticas a Ronaldo Caiado começam a ser feitas com mais rigor, diz um pesquisador. “Se surtirem efeito, pode estabilizar-se ou cair.” Outro marqueteiro sublinha que nas campanhas políticas de Goiás — “em todas” — os números “só mexem depois de 15 dias de televisão”.

O pesquisador acrescenta: “Kátia Maria bate mais no governo do que no candidato que lidera as pesquisas. Suicídio político ou ela quer no governo um gestor que vai gerar mais contencioso com o funcionalismo público? Ela está claramente fazendo campanha contra o PSDB, não exatamente contra José Eliton”.

Um marqueteiro, que tem examinado pesquisas quantitativas e qualitativas, nota que as duas apresentam resultados diferenciados. “As quantis sugerem que os eleitores assimilaram o discurso de mudança de Ronaldo Caiado. As qualis sugerem que os eleitores estão retardando a sua decisão e não estão empolgados com nenhum dos candidatos. Eles dizem que estão ‘putos’ — e a palavra é exatamente esta — com todos os políticos. Curiosamente, afiançam que nada sabem de negativo contra José Eliton e Daniel Vilela.”

Marqueteiros e pesquisadores dizem que a definição dos eleitores começa nesta semana. “Se Daniel Vilela e José Eliton não subirem, com uma relativa queda ou estagnação de Ronaldo Caiado, aí será difícil falar em segundo turno. Mas as qualis sugerem que os eleitores querem mais disputa, querem mais contraditório e querem saber mais a respeito dos candidatos e sobre suas propostas para melhorar a vida deles”, afirma um pesquisador.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.